O plenário da #Câmara dos Deputados aprovou em 2º turno a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, na noite desta terça-feira (25), por 359 votos a favor e 116 contra, além de 2 abstenções. 

Depois de muita polêmica e protesto desde que foi colocada na pauta da Câmara dos Deputados, enfim a PEC do teto de gastos foi aprovada na Casa Legislativa e o governo Temer conseguiu sua principal vitória desde que assumiu o Planalto. 

Em primeiro turno, após um jantar custeado por Michel Temer aos deputados, o plenário da Câmara aprovou o texto base da PEC do Teto de gastos por 366 votos a favor, 111 contra e duas abstenções. Agora, foi a vez de Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, oferecer um jantar a Temer as vésperas da votação do 2º turno para assegurar que a proposta enviada pelo Executivo ao Congresso seria aprovada.

Publicidade
Publicidade

É importante ressaltar que os deputados votaram, até o momento, apenas o texto base da Proposta de Emenda à Constituição 241. Os destaques ainda precisam ser apreciado e votados. Só após essa análise é que o texto será encaminhado para tramitação no Senado. A previsão de Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado Federal, é que a PEC seja votada na Casa Legislativa no dia 13 de dezembro.

Eram necessários 308 dos 513 deputados votando a favor da proposta para que ela continuasse sua tramitação normal no Congresso Federal. Os sete votos de diferença entre o 1º e 2º turno contra a PEC foram considerados "insignificantes" por parte do relator Darcísio Perondi (PMDB-RS). Já a linha adotada pelo líder do governo na Câmara, o deputado André Moura (PSC-SE), foi a de reforçar a unidade da base de Temer na Casa Legislativa, a qual chamou de "coesa". 

Desentendimento

A sessão transcorreu durante todo o dia e envolta em muitas polêmicas.

Publicidade

A oposição apresentou uma série de requerimentos solicitando a retirada de pauta e o adiamento da votação da PEC na Câmara. Além dos instrumentos legislativos, grupos de manifestantes contrários a Proposta que pretende congelar os gastos públicos pelos próximos 20 anos estiveram na Casa Legislativa para protestar. Apenas alguns poucos manifestantes conseguiram chegar até as galerias do plenário da Câmara e realizaram seu protesto de forma pacifica. Deputados de oposição também se manifestaram por diversas vezes contrários a proposta dentro do plenário, inclusive com cartazes.

Uma pequena confusão ocorreu quando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pausou a sessão e solicitou que os policiais legislativos retirassem os manifestantes que se encontravam nas galerias. Em sua grande maioria jovens, gritavam durante a sessão palavras de ordem, como "Ou para essa PEC ou para o Brasil". Deputados de oposição foram dar suporte aos manifestantes para evitar qualquer represália por parte da polícia.

Publicidade

Em comum acordo, costurado pelo petista Arlindo Chinaglia (SP), Maia decidiu retomar a sessão, desde que os manifestantes permanecessem em silêncio.

Na hora de proclamar o resultado, Maia solicitou que os manifestantes fossem retirados.  #pec 241 #Dentro da política