Aprovada na noite desta segunda-feira (10) a PEC - Proposta de Emenda à Constituição, em relação ao teto para os gastos públicos, sendo que os votos a favor foram 366 e os contrários chegaram a 111, além de 2 abstenções. Michel Temer apresentou a proposta que gerou muita polêmica e para o presidente essa era a principal medida para conseguir acertar as contas do #Governo e também para resolver de uma vez por todas a crise econômica que continua assolando o país, acontece que a oposição foi contra a redução dos investimentos tanto para a saúde como também para a educação.

Apesar de ter sido aprovada em 1ª votação, a PEC ainda tem que ser submetida amais uma votação na Câmara e só depois é que poderá ser enviada para o Senado e também lá, passará por duas votações.

Publicidade
Publicidade

O dia foi tenso e o clima esquentou durante os debates.  Os deputados governistas mostraram as vantagens da PEC, mas os da oposição fizeram de tudo para impedirem a aprovação, mas não conseguiram. O deputado federal Arnaldo Faria de Sá, gritou por várias vezes e mandou que os nobres deputados calassem a boca, pois ele queria se fazer ouvido. Em menos de 5 sessões já será preciso realizar a nova votação da PEC 241, o que indica que deverá ficar mesmo para a próxima semana, lembrando que na quarta-feira, dia 12, é feriado nacional. Rodrigo Maia, presidente da Câmara, já avisou que o prazo será respeitado.

Para conseguir aprovar a PEC, a base do presidente Michel Temer realizou várias manobras, mas tudo conforme está previsto no regimento interno, o que acabou resultado em uma votação mais ágil.

Publicidade

Os governistas conseguiram primeiramente a aprovação para que o prazo de duas sessões fosse dispensado e assim foi possível realizar a votação já no início desta semana, conseguindo um adiantamento de pelo menos 24 horas.

Governistas dizem que a PEC irá impedir o avanço da dívida pública, mas a oposição questiona principalmente a redução nos investimentos feitos na saúde e educação.

Nos assuntos mais comentados do Twitter temos as hashtags "#PECdoFimDoMundo" e "#ContraPEC241" onde muitos continuam deixando seus comentários, críticas e protestos.

#Michel Temer #Polícia Federal