#Petrobras corre risco eminente de perder sua coroa de rainha do petróleo nacional por conta da sua falta de capacidade aquisitiva para explorar os campos de pré-sal. É um marco na história de umas das maiores petrolíferas, naturalmente desencadeada por causa das operações "Lava Jato". A situação é causada pelo preço baixo do barril petróleo e por demissões em massa. O plenário iniciou a votação nessa quarta (05/10), sob a regência do relator do projeto José Carlos Aleluia (DEM-BA), do projeto que derruba a BR como operadora única dos campos de produção de petróleo abaixo da camada de sal.

O projeto José Carlos ganhou na votação, com 292 a favor, contra 101 dos deputados que não gostaram nada disso.

Publicidade
Publicidade

José Guimarães, deputado que representa o PT, se digladiou intensamente nessa sessão, alegando que estamos entregando nossas riquezas nas mãos da iniciativa privada internacional e que a captação de capital da união será ameaçada se não forem criados mecanismos que protejam os estados produtores. Segundo José Guimarães, o país vai levar prejuízo de pelo menos 50 bilhões de reais apenas na área de exploração de Libra, se realmente esse projeto for sancionado.

É de lembrar que essa decisão não exclui a Petrobras de produzir; apenas abre espaço para outras empreiteiras e petrolíferas. Ela pode participar, ou não, das licitações, desde que pelo menos seja detentora de 30% das partilhas desses campos.

Há muito tempo, sindicatos de petroleiros espalhados pelo país vêm postergando essa situação.

Publicidade

Temerosos com as consequências dessa decisão no plenário, muitos sindicalistas já estão se organizando para iniciar protestos simultâneos para tentar coibir de modo popular essa votação. 

Na verdade, há muitos que gostariam de ver essa privatização ocorra, após a desilusão com tantos esquemas de corrupção e desvios do dinheiro público, por conta da ação da Petrobras. Os defensores da privatização acreditam que esse projeto seja alguma espécie de "prelúdio da esperança", que seja capaz de gerar mais empregos e estabilizar a economia do Brasil. #Política #Economia