Passamos pelas eleições do dia 02 de outubro, pelas quais os eleitores brasileiros votaram em candidatos para prefeito e vereador de cada cidade. No Brasil, 5570 cidades passaram por eleições e 55 delas irão passar pelo 2º turno, que acontecerá no dia 30 de outubro, dentre elas, 18 são capitais.

O sistema eleitoral que rege o nosso país é constituído por dois sistemas: o sistema majoritário e o sistema proporcional. Entenda:

Sistema majoritário: elege cargos para prefeitos, senadores, governadores e presidente, onde o candidato só ganha se fizer a maior parte dos votos válidos, ou seja, neste sistema ganha quem tiver mais votos.

Publicidade
Publicidade

Sistema Proporcional: este sistema elege os cargos para vereadores, deputados federais e deputados estaduais, e não é igual ao majoritário, que ganha quem tiver a maior quantidade de votos, mas sim, pela quantidade que seu partido/coligação possuir.

Um exemplo que pode explicar melhor esta situação:

Um município qualquer, chamado "X" possuí 11 cadeiras disponíveis para o cargo de vereador, e nesta cidade existem 12 mil eleitores. Porém, no dia da votação compareceram somente 11,5 mil eleitores, e o resultando dos votos foram:

  • 700 votos em branco;
  • 900 votos nulos;
  • 9.900 votos válidos.

Fazendo um cálculo simples, vemos quê o número de eleitores presentes foram de 9,9 mil e são 11 cadeiras disponíveis, sendo que são necessários 900 votos para eleger 1 vereador (9900 / 11= 900). Mas existem 3 coligações políticas (vários partidos unidos) e um partido à parte, chamado partido Y. E os resultados da votação de cada partido foram:

  • Coligação A - 3400 votos
  • Coligação B - 3200 votos
  • Coligação C - 2410 votos
  • Partido Y - 890

Com esses valores, vão ser divididos entre os partidos quantas cadeiras cada um poderá ter, sendo que o partido Y não conseguiu atingir o mínimo necessário para poder ter um de seus candidatos ocupando uma das cadeiras.

Publicidade

E para poder saber quantas vagas vão estar disponíveis para cada partido é só pegar a quantidade de votos totais que cada um possuiu e dividir pelo número de vagas, o resultado fica:

  • Coligação A - 3400 / 900 = 3,77 - 3 vagas
  • Coligação B - 3200 / 900 = 3,55 - 3 vagas
  • Coligação C - 2410 / 900 = 2,67 - 2 vagas
  • Partido Y - 890 / 900 = 0,98 - nenhuma pois não atingiu a média.

Totaliza 8 vagas já preenchidas, e restam 3 delas para serem ocupadas, porém, agora o cálculo é feito de outra forma: é usado a divisão das sobras, que são os valores decimais obtidos de cada resultado acima.

Feito um cálculo bem semelhante ao anterior, o número do divisor será: o número de vagas que ele já preencheu e mais a que querem a mais, e assim sucessivamente.

Para ocupar a 9º cadeira:

  • Coligação A - 3400 / (3+1) = 850 (maior média) + 1 vereador
  • Coligação B - 3200 / (3+1) = 800
  • Coligação C - 2410 / (2+1) = 803,3

Para ocupar a 10º cadeira:

  • Coligação A - 3400 / (4+1) = 680
  • Coligação B - 3200 / (3+1) = 800
  • Coligação C - 2410 / (2+1) = 803,3 (maior média) + 1 vereador

Para ocupar a 11º cadeira:

  • Coligação A - 3400 / (4+1) = 680
  • Coligação B - 3200 / (3+1) = 800
  • Coligação C - 2410 / (3+1) = 602,5 (maior média) + 1 vereador

E, assim, foi realizado a eleição para os vereadores de cada cidade brasileira.

Publicidade

O resultado não só depende da quantidade de votos que cada candidato teve, mais também da soma total obtida pelo partido deste. #Casos de polícia #Eleições 2016