O ex-presidente da Câmara, deputado cassado e presidiário, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se tornou réu em mais uma ação penal, agora na 10ª Vara do Distrito Federal. A denúncia foi aceita nesta quarta-feira (26) pelo juiz de primeira instância, Vallisney de Souza Oliveira, da Justiça Federal de Curitiba.

Além de #Eduardo Cunha, o ex-ministro do Turismo, Henrique Alves, o doleiro Lúcio Funaro, o ex-sócio de Funaro Alexandre Margotto e o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto também se tornaram réus na ação penal. Eles são acusados de receberem e pagarem propina para ajudar na obtenção de empréstimos junto ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS).

Publicidade
Publicidade

Os novos réus responderão pelos crimes de corrupção, prevaricação, lavagem de dinheiro e violação de sigilo funcional. A denúncia havia sido apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) em junho ao Supremo Tribunal Federal (STF). Naquele mês, Cunha ainda não havia sido cassado, por isso tinha foro privilegiado, após perder o mandato, pôde ser julgado por um juiz de primeira instância.  #Dentro da política