As eleições municipais trouxeram algumas novidades neste ano de 2016. O Partido dos Trabalhadores (#PT) foi segundo os resultados das eleições, um dos grandes derrotados. A capital paulista foi um exemplo disso. A eleição finalizou com a vitória estrondosa de João Doria, do PSDB,  já no primeiro turno, com 53,29% dos votos válidos. Em segundo lugar, o atual prefeito Fernando Haddad, do PT, alcançou 16,70% dos votos. A margem de vitória de João Doria, foi muito expressiva na capital Paulista. Porém, a derrota do PT, também foi expressiva no interior do estado de São Paulo e nos grandes centros urbanos do país. A derrota do partido da ex-presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, podem apontar de modo substancial, o retrato da crise política do país, de acordo com os mais recentes escândalos de #Corrupção que permeiam a realidade do Brasil, nos últimos anos.

Publicidade
Publicidade

Fator São Paulo

As eleições na capital paulista, demonstram, de modo substancial, a perda de força da legenda petista. O candidato do PSDB, João Doria, venceu em 56 das 58 zonas eleitorais de São Paulo. Doria ganhou mesmo em regiões da periferia, em que anteriormente, o PT, historicamente costumava vencer. O candidato petista, Fernando Haddad, não conseguiu vencer em nenhuma zona eleitoral da capital paulista. Doria somente não conseguiu ficar em primeiro, nas regiões de Parelheiros e Grajaú, no extremo sul da cidade de São Paulo. Haddad, porém, não foi vitorioso nessas regiões, mas sim, a candidata do PMDB, Marta Suplicy. Outra região da capital paulista, em que João Doria venceu o PT, trata-se de regiões que costumeiramente, depositavam votos na legenda petista. Os bairros de Guaianases e Cidade Tiradentes, ambos na Zona Leste da cidade, são dois exemplos claros dessa mudança.

Publicidade

Outro exemplo que pode se destacar é o bairro de Capão Redondo, na Zona Sul da capital. Regiões mais pobres que tradicionalmente eram majoritariamente eleitores do PT, já não direcionaram seus votos ao partido de Dilma e Lula. #Eleições 2016