O presidente do Congresso Nacional, Senador #Renan Calheiros (PMDB-AL), criticou duramente as investigações da Polícia Federal, no âmbito da Operação Lava-Jato. A Lava-Jato é uma das maiores, senão, a maior operação de combate à #Corrupção da história do País e é comandada em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal de Curitiba, no Paraná. As críticas do senador alagoano também foram direcionadas ao ministro da Justiça do governo Michel Temer, Alexandre de Moraes. Já logo que foi implementada a "Operação Métis", da Polícia Federal, que realizou buscas e apreensões no Senado, além de mandados de prisão contra alguns policiais da Casa legislativa, Renan Calheiros demonstrou enorme irritação com os métodos de investigação da Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Segundo Renan, a PF se utiliza de "métodos fascistas". Ao criticar a Operação Lava-Jato, Renan Calheiros afirmou que a força-tarefa pratica "excessos": "é inacreditável que uma pinimba de policiais de um determinado poder, determine o que se pode caracterizar como crise institucional no País", ressaltou o presidente do Senado. As palavras de Renan se referia à delação premiada firmada por um policial legislativo e que culminou na prisão de outros quatro agentes do Senado. Nesta segunda-feira (24), Calheiros estava acompanhado dos senadores petistas Lindbergh Farias (PT-RJ) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

Críticas à Polícia Federal

O presidente do Congresso pretende entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal, com o intuito de tentar pressionar a mais alta Corte do País, a "fixar as competências dos poderes da República".

Publicidade

Renan pretende mencionar em sua ação, o episódio que envolveu busca e apreensão no apartamento funcional da senadora petista Gleisi Hoffmann, do Paraná. Além disso, pretende citar também sobre a condução coercitiva do ex-presidente Lula, através de desdobramentos da Lava-Jato e ainda o episódio dos áudios vazados entre o ex-mandatário e a ex-presidente Dilma Rousseff. Ao desdenhar da Operação Métis da Polícia Federal, que realizou mandados de busca e apreensão no Senado, além das prisões dos agentes legislativos, Calheiros se referiu ao juiz responsável pela operação realizada no Senado, através da décima Vara Criminal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira, como "juizeco de primeira instância". #Lava Jato