O deputado federal #Celso Russomanno e candidato que perdeu as eleições para a prefeitura de São Paulo - ainda no primeiro turno - acabou protagonizando nesta terça-feira, 11, um verdadeiro vexame no aeroporto Juscelino Kubstichek, em Brasília. A informação foi dada com destaque pelo site 'Diário do Poder'. Segundo a publicação, Russomanno não aceitou receber um tratamento sofrido pelos cidadãos comuns, que é mostrar a bagagem de mãos no raio-x. A medida é para evitar que alguém possa entrar armado em uma aeronave. O político deu uma carteirada, dizendo que tinha imunidade parlamentar. 

Em seguida, achando que havia passado pelos agentes, Celso embarcou no voo 6628, da Gol.

Publicidade
Publicidade

No entanto, a carteirada não funcionou e o deputado federal iniciou uma discussão. Os ânimos teriam ficado extremamente quentes. A Polícia Federal então acabou sendo chamada para retirar o representante do PRB da aeronave. Ele teria sido levado para outro espaço, evitando que o escândalo vazasse na mídia. Não deu certo também, já que uma fonte do site passou as informações, que ganharam grande repercussão nas redes sociais. 

Os demais passageiros, que são cidadãos comuns, pagam seus impostos em dia e são responsáveis pelo salário do deputado, tiveram que ficar quarenta minutos esperando. Isso tudo até que o político aceitasse - enfim - passar pela vistoria e depois voltar novamente para o avião. E assim foi feito. 

Grande repercussão nas redes sociais

O assunto teve muitos comentários no Facebook.

Publicidade

O internauta Francisco Noronha escreveu: "Pois é, vergonhoso para um parlamentar se recusar a uma inspeção como se estivesse acima da lei. Afinal, nosso congresso está cheio de corruptos que carregam milhões de reais em bolsas e sacolas, dinheiro esse, recebido de propinas". Opinião parecida teve Roberto Souza. "Tá se achando, hein, parlamentar! Será que tem uma estrela na testa para indicar que é superior a todos os cidadãos! Que vergonha! Que mico! Vê se aprende da próxima vez!", disse o eleitor na rede social.   #Eleições 2016