Uma ação foi protocolada no Tribunal Federal de Apelação de Nova York por vários investidores descontentes com a grande #Corrupção que tomou conta da Petrobrás. Ainda não se tem um prazo determinado para a conclusão do processo. Nesta quarta (02), foi realizado a primeira sessão de julgamento dessa ação bilionária contra a estatal. A Petrobrás comentou que é difícil estipular o tanto de aplicações feitas na empresa pelos norte-americanos, incluindo bônus, o que pode levar o julgamento a não ter fundamentos.

A sala da sessão estava lotada. Foram utilizados vídeos em outros ambientes para aqueles que não conseguiram entrar na sala principal.

Publicidade
Publicidade

Os advogados da estatal foram ouvidos por três juízes. Eles levaram vários dados da empresa, movimentações e documentos emitidos no mercado internacional. 

Corrupção

A Petrobrás foi vítima de um grande esquema de propina e irregularidades de recursos públicos por políticos que queriam apenas se enriquecer com a estatal. A Operação Lava Jato conseguiu chegar na cúpula da empresa, formada pelos diretores e empresários com más intenções. Foi um trabalho de extrema responsabilidade feito pelo juiz Sérgio Moro e os procuradores do Ministério Público.

Uma das notícias mais recentes é a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de que todo o dinheiro desviado pelo ex-diretor, Nestor Cerveró, fosse devolvido para a companhia. Esse valor gira em torno de R$ 17 milhões.

Cerveró participou de uma organização criminosa causando enormes prejuízos à estatal petrolífera.

Publicidade

O trabalho da força-tarefa foi fundamental para encontrar os responsáveis pelos crimes de corrupção.

Situação complicada

A defesa da empresa brasileira ressaltou que é difícil processar a estatal como uma classe, pois é uma companhia que vende ações por todo o mundo e possui um grande mercado internacional. De acordo com um dos advogados, o juiz Jed Rakoff, responsável pelo processo, conseguiu identificar alguns acionistas americanos e imaginou que outros poderiam ter comprado também os papéis da petroleira, o que seria uma forma errada de julgar.

Os bancos que participaram das emissões de títulos da companhia também estão sendo julgados pelo Tribunal americano.

Em discordância com a defesa da estatal, o advogado que representa os fundos, Jeremy Lieberman, disse que é possível sim identificar os investidores, pois eles são compradores qualificados, como 99% dos acionistas da empresa. #Petrobras #Lava Jato