Os advogados da ex-presidente Dilma Rousseff resolveram mudar de estratégia e querem "arrastar" Temer como a salvação da petista. Com o intuito de preservar os direitos políticos de Dilma, os advogados acreditam que o presidente #Michel Temer não pode em nenhum momento se separar da chapa formada com o PT na eleição presidencial de 2014. A defesa da ex-presidente comentou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem uma tendência de deixar a petista inelegível, mas se Temer estiver junto, o Tribunal pode não querer causar uma instabilidade política com a condenação do presidente.

Em conversas sigilosas, alguns petistas falaram que enquanto Temer estiver "grudado" em Dilma, o Tribunal pensará duas vezes antes de tirar os direitos políticos da presidente cassada, pois qualquer ação contra Dilma poderá tirar o peemedebista do cargo.

Publicidade
Publicidade

E se o presidente for afastado, novas eleições terão que ser feitas e isso pode causar uma grande turbulência no Brasil, que está começando a "entrar nos trilhos" do avanço econômico.

Michel Temer

O presidente do Brasil, Michel Temer, não quer ser responsabilizado pelos erros do PT. Por ter sido vice da petista, ele diz que não participava de nenhum acordo que era feito e raramente era procurado para dar alguma opinião. Esta semana, Temer foi acusado de receber um cheque de R$ 1 milhão da empreiteira Andrade Gutierrez. E o cheque foi direto para a conta de Temer, que na época era presidente do PMDB.

A defesa de Temer disse que as declarações de Otávio Azevedo, ex-presidente da empresa Gutierrez e delator da Lava Jato, estão distorcidas e com várias contradições. Segundo o advogado do peemedebista, Gustavo Guedes, o depoimento de Azevedo é frágil e não contém informações corretas e especificadas.

Publicidade

Relator

O relator do processo, Herman Benjamin, disse que ninguém sabe como será seu voto. "Farei um julgamento técnico, sem cunho político", disse o relator. Benjamin, juiz respeitado pela Corte, é uma grande preocupação para ambos os lados. Tanto o PT quanto o Palácio do Planalto temem o veredito do juiz. #Justiça #Dilma Rousseff