Sidney da Silva Braga, juiz 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, julgou a ação movida por Fernando Haddad e a coligação ‘Mais São Paulo’, improcedente. Os autores alegavam que #Geraldo Alckmin, governador do estado de São Paulo, agiu com abuso de poder, ao apoiar o candidato a prefeito eleito no primeiro turno, João Doria.

A ação alegava que antes do PSDB anunciar João Doria como pré-candidato à prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin tirou uma foto ao lado do correligionário durante uma visita ao bairro de Paraisópolis, na zona sul da cidade. Para os autores da ação, isso seria uma propaganda antecipada.

Outro ponto levantado no pedido contra os políticos, foi que Alckmin trocou o secretario do meio ambiente por outro que seria filiado ao PP (Partido Progressista).

Publicidade
Publicidade

Para os autores da ação, essa foi uma estratégia abusiva para que a campanha de Doria ganhasse mais tempo de propaganda gratuita na TV.

Além disso, a ação também citou o slogan da campanha de João Doria ‘Acelera, São Paulo’, que é o mesmo nome de um programa do governo de Alckmin. Antes dessa ação, a Justiça já tinha liberado o uso do slogan, não vendo problemas no mesmo ser utilizado, uma vez que o slogan não remetia ao programa estadual, sendo apenas uma forma de expressar o que poderia ser o seu eventual governo municipal.

Só é considerado abuso de poder político, quando a pessoa faz mal uso de sua posição, a fim de influenciar no resultado final das eleições. O magistrado entendeu que não houve essa caracterização e que Alckmin não é responsável pela vitrina em primeiro turno de João Doria.

Publicidade

Em 2014, Geraldo também foi eleito em primeiro turno. Os dados do processo foram disponibilizados pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral), por meio da Ação de Investigação Judicial Eleitoral Nº 171756.

#Fernando Haddad é o prefeito da cidade de São Paulo até o dia 31 de dezembro. Dia 1 de janeiro acontece a cerimônia que empossará Doria em seu primeiro mandato político. Existem especulações de que ele pode ser o candidato do PSDB para o governo de São Paulo em 2018. Caso isso aconteça, o seu vice assume a prefeitura, Bruno Covas, assume o governo municipal. Também existe informações de que vários líderes dentro do PSDB querem Alckmin para disputar a presidência em 2018, ao invés de Aécio Neves. #João Dória