O ex-governador do Rio de Janeiro, #Anthony Garotinho, além de ter que lutar para provar sua inocência nos processos aos quais responde, ele ainda terá que comprovar que realmente possui curso superior para ter direito a se manter em um cela especial, pois, de acordo com reportagem divulgada no jornal “O Globo”, o diploma universitário de Garotinho possui sérias evidências de que se trata de um documento ilegítimo e não reconhecido pelo MEC.

De acordo com informação descrita no processo que possui junto ao Tribunal Regional Eleitoral, Garotinho diz que possui ensino superior completo em Teologia pela Faceten (Faculdade de Ciências, Educação e Teologia do Norte do Brasil), em Roraima, porém, no blog que administra, as informações divergem, pois, na página eletrônica, Garotinho apresenta um diploma de outra instituição, diploma esse expedido pelo Instituto de Ensino Evangélico e Formação Teológica do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

Segundo o desembargador Alexandre de Carvalho Mesquita, os diplomas apresentados, até o momento pelo ex-governador, possuem “sérias evidências de falsidade ideológica”. Ao jornal “O Globo” o desembargador foi categórico e afirmou que “o investigado nunca fez um curso superior em Teologia”, pois a carga horária das disciplinas cursadas pelo ex-governador (Introdução à Sociologia e Antropologia Cultural) foram cursadas em apenas um dia, fato que não condiz com as exigências do MEC, que exige que as disciplinas sejam cursadas numa carga mínima de 60 horas.

Além do problema de carga horária verificada no histórico escolar apresentado, o certificado mostrado no blog afirma que a graduação foi concluída em dezembro de 2011. Já à #Justiça Eleitoral, o ex-governador informou que se matriculou no curso em novembro de 2011 e terminou o curso em outubro de 2012.

Publicidade

Outra irregularidade seria o tempo de apenas um ano, fato este também observado pelo desembargador Alexandre de Carvalho Mesquita.

Transferência para hospital

Durante a madrugada desse sábado (19), Anthony Garotinho foi transferido do Complexo Penitenciário de Gericinó em Bangu, para a zona norte do Rio, para um hospital particular onde fará exames preventivos. Após realizar os exames, ele poderá ficar (temporariamente) em #Prisão domiciliar. A decisão foi determinada por Luciana Lóssio, ministra do Tribunal Superior Eleitoral.