Nesta tarde de quarta-feira (16), vários manifestantes entraram na Câmara dos Deputados protestando. Uma mulher estava com uma camisa escrito "Intervenção já", outras pessoas proclamaram palavras de ordem, como: "Viva Sérgio Moro", em referência ao juiz federal responsável pela operação Lava Jato, "nossa bandeira jamais será vermelha" e "#Intervenção Militar". Os manifestantes não concederam entrevista para os repórteres que estavam no local, mas afirmaram que são a favor de uma intervenção militar no Brasil, alguns gritavam:"Federal aqui".

O grupo não estava com bandeiras ou acessórios que identificariam um movimento partidário.

Publicidade
Publicidade

Para entrar no local, quebraram a porta de entrada e afirmavam que ali era a casa deles, a casa do povo brasileiro. As poucas pessoas que conversaram com jornalistas disseram que o "general" estaria vindo, dando referência ao Golpe Militar de 1964. O momento da invasão ocorreu quando alguns deputados estavam esperando o início da sessão extraordinária.

Confusões

Houve troca de socos entre os manifestantes e os policiais legislativos. Os seguranças tentaram tirá-los do local para dar continuidade na sessão, mas a força de segurança foi em vão, já que as pessoas decidiram ficar no local e até conversaram com o primeiro-secretário da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP).

O trabalho dos deputados foi encerrado a pedido do primeiro vice-presidente da Câmara, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), foi ele que pediu para os policiais legislativos tirarem cerca de 60 manifestantes do local, o manifesto se instalou na mesa da diretoria.

Publicidade

Discussões e pedidos

Um dos manifestantes disse que os brasileiros não querem o regime comunista, e avaliou que os deputados devem fiscalizar o Poder Executivo, os manifestantes também cantaram o Hino Nacional Brasileiro. um dos pedidos foi o "fim da corrupção".

Enquanto o movimento, aparentemente apartidário, estava na Câmara, outro grupo entrou em confronto com eles. Gritando "fascistas, fascistas", o grupo tentou contrapor o ato no Salão Verde, lugar que dá acesso ao Plenário.

A polícia legislativa esvaziou o local tirando os deputados e os jornalistas. #Manifestação #Câmara dos Deputados