É chegada a hora em que Claudia Cruz ficará 'cara a cara' com o comandante da Operação #Lava Jato, o juiz federal Sérgio Moro. A jornalista chegará à Curitiba e deverá seguir direto para a 13ª Vara, no Paraná. O interrogatório está marcado para começar às 14h desta quinta-feira (17). A mulher de #Eduardo Cunha se tornou ré em uma ação penal e responde pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. A informação foi publicada pelo jornal "Metrópoles". Cláudia é suspeita de ser usufruidora de contas no exterior, mais precisamente na Suíça. Suspeita-se que o ex-parlamentar Eduardo Cunha seja o principal titular de créditos de bancos comerciais suíços.

Publicidade
Publicidade

A audiência será uma oportunidade em que a jornalista poderá expor a sua versão dos fatos, mas se preferir poderá silenciar-se perante o juiz Moro e o representante do Ministério Público. A opção faz parte de direitos concedidos e resguardados pela Constituição Federal, em que não se configura crime, ou seja, dependerá da vontade da ré fornecer provas em espécie material ou oral. Além disso o depoimento poderá ser usado em desfavor dela própria.

A denúncia contra Cláudia Cruz ocorreu em junho desse ano e foi protocolada pelos próprios procuradores da força-tarefa da operação Lava Jato. O juiz Moro resolveu aceitá-la imediatamente, pois a acusação foi necessária para a ação penal em que o ex-deputado Cunha esclarecerá os motivos pelo qual não citou as operações bancárias, preferindo omiti-las ao invés de declará-las.

Publicidade

Eduardo Cunha encontra-se preso na Superintendência da Polícia Federal (PF) desde o dia 19 de outubro. Moro será o responsável pelo julgamento do ex-deputado que permanece detido em decorrência da tentativa de obstruir a justiça, embaraçando a Operação Lava Jato.

Outro fato relevante é com relação à Danielle, filha de Eduardo Cunha que também foi indiciada. O Ministério Público Federal (MPF) investiga a possibilidade do casamento da moça ter sido pago com vantagens indevidas (propinas). O evento ocorreu no Rio de Janeiro, em um dos hotéis mais badalados cidade, e custou cerca de R$ 400 mil pagos em "dinheiro vivo". Danielle também está sob a competência do juiz federal Sérgio Moro. #Sergio Moro