Na tarde dessa quarta-feira, 16, cerca de 60 a 80 pessoas invadiram o plenário da #Câmara dos Deputados. O vice-presidente da Casa, Waldir Maranhão, encerrou a sessão e pediu para os deputados se retirarem e para a polícia conter os manifestantes.

Durante a invasão, alguns manifestantes entraram em conflito com a polícia legislativa e segundo informações do R7, quatro pessoas foram detidas, além de um segurança ter ficado ferido no momento em que quebraram a porta de vidro para entrar. A maior parte do grupo permaneceu na Câmara, em volta da Mesa Diretora.

Os deputados federais, Paulo Pimenta e Onyx Lorenzoni tentaram dialogar com os manifestantes e pedir que eles se retirassem voluntariamente do local, evitando que a polícia o fizesse coercitivamente.

Publicidade
Publicidade

Não houve acordo com a maioria deles, mas algumas pessoas decidiram deixar o plenário Ulisses Guimarães.

O deputado Beto Mansur, disse que um manifestante informou que o motivo da invasão é pedir que acabe os salários altos dos parlamentares, fim da corrupção no Brasil, intervenção militar e o auxílio de um general das Forças Armadas para negociar a saída do grupo.

Após a invasão, a transmissão da TV Câmara parou de mostrar o plenário e se limitou a CPI da Lei Rouanet, que acontece em outro plenário da Casa. Pela internet, o deputado Paulo Pimenta realizou a transmissão ao vivo, pelo seu celular, oportunidade em que xingou Michel Temer de golpista e disse que um grupo de extrema direita estava exaltando Sérgio Moro e gritando por Bolsonaro.

Em entrevista ao R7, um dos manifestantes afirmou que o grupo não possui partido e que estão no local de forma independente e sem o apoio de qualquer político.

Publicidade

As visitas ao Congresso estão suspensas por hoje.

Nesse momento, ocorre discussões entre manifestantes, políticos que tentam convencê-los de sair e seguranças. A polícia já está posicionada e deve fazer a retirada dos manifestantes em breve.

Pela internet, grupos se dividiram entre repudiar o ato, alegando que a invasão não mudaria em nada no país e outros, liderados por parlamentares da esquerda, chamaram os manifestantes de ‘golpistas’.

Assista a ocupação:

#Manifestação #Congresso Nacional