A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, participou nesta quinta-feira (10), do 4º Encontro do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual e 64ª Reunião do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública (Consesp), que está sendo realizada em Goiânia no estado de Goiás. Durante o encontro, a magistrada que preside a mais alta Corte do País, foi enfática em afirmar que "um preso custa aproximadamente treze vezes mais do que um estudante no Brasil", afirmou a presidente do #STF. A magistrada concluiu ainda que "um preso no País, chega a custar cerca de R$ 2,4 mil por mês, enquanto um estudante no Brasil, que está cursando o Ensino Médio, chega a custar aproximadamente R$ 2,2 mil por ano", ressaltou.

Publicidade
Publicidade

Ainda segundo Cármen Lúcia; "alguma coisa está errada na nossa Pátria amada", concluiu a presidente da mais alta instância da Justiça do País.

Situação da violência no Brasil

A ministra Cármen Lúcia traçou um paralelo entre o ano de 1982 e os tempos atuais. De acordo com a magistrada, naquele ano, Darcy Ribeiro realizou uma conferência, em que já advertia aos governadores de estado do Brasil, de que se nada fosse feito em relação à Educação no Pais, especialmente, no que se refere à construção de escolas, num período de vinte anos, faltaria dinheiro para que se construísse presídios em todo o Brasil.A ministra compreendeu que o País passa por uma situação muito grave, em se tratando de Segurança Pública. Segundo a magistrada, as palavras de Darcy Ribeiro, acabaram se cumprindo.

Publicidade

Ela lembrou ainda que "o Brasil passa por uma situação urgente, devido a um descaso lá atrás", ressaltou. Lúcia foi categórica em afirmar que torna-se extremamente necessário todo um esforço e trabalho conjunto entre os governadores de estado e a União. Cármen Lúcia, pessoalmente, desde que assumiu a presidência do Supremo, têm visitado presídios para analisar as condições das unidades espalhadas por todo o território nacional. Ela citou ainda dados alarmantes: "A cada nove minutos, uma pessoa é assassinada violentamente no Brasil, sendo que o País teve mais mortes em cinco anos do que a guerra na Síria", concluiu a magistrada. Participou também do encontro, o ministro da Justiça do governo Temer, Alexandre de Moraes. Ele apresentou ainda, o Plano Nacional de Segurança Pública. #CármenLúcia #Governo