O senador da república, Marcelo Crivella (PRB-RJ) venceu a eleição para prefeitura do Rio de Janeiro. Feliz com o resultado, o político agradeceu o apoio dos eleitores e conversou com moradores do bairro de Santa Cruz. Crivella afirma que a cidade não pode se separar agora, pois necessita da união para transformar o Rio de Janeiro na cidade dos sonhos do carioca.

A missão de Crivella não será nada fácil, pois a crise econômica e a elevação da violência em alguns bairros, sobretudo os que ficam próximos de favelas, travaram o crescimento do #Governo de Paes. Para começar a recuperar a saúde econômica do município, o político anunciou em uma entrevista para o SBT, que reduzirá o número de secretarias pela metade, que atualmente somam 29.

Publicidade
Publicidade

Eduardo Paes chegou a excluir quatro secretarias recentemente, justificando que elas foram criadas especificamente para o seu governo e era provável que, independentemente de quem vencesse as eleições, elas não continuassem. A extinção por completo dessas pastas se dará até dezembro, mas já foram anunciadas no Diário Oficial.

Já o próximo ano será de árduo trabalho para o novo prefeito do Rio, que terá muito mais dividas para pagar, do que em 2016. O orçamento deixado para Crivella pagar os salários dos servidores públicos, obras e demais serviços para manter o funcionamento do poder público municipal, é de R$ 29,5 bilhões, valor 9% menor do que em 2016.

O novo prefeito do Rio sinalizou que quer fazer parceria com o governo federal para reerguer a cidade e avisou que seu governo não fará do Rio um bunker ideológico de 'fora, Temer’, conforme alguns adversários estão fazendo desde antes do impeachment de Dilma.

Publicidade

As ações costumam ser lideradas por deputados e senadores do PT, PSOL e PC do B, como Lindbergh Farias, Jean Wyllys e Jandira Feghali.

Crivella sabe que não será fácil assumir a cidade maravilhosa em meio ao caos econômico que ocorre não só no país, mas em especial no estado do Rio. Apesar disso, o novo prefeito está otimista e deixa claro que trabalhará com transparência e honestidade.

O senador comentou que ficou feliz por receber uma ligação de Eduardo Paes, o parabenizando pela vitória. Crivella disse também que após o pleito político, manter a paz entre os colegas é essencial. Essa ideia, entretanto, não deve ser seguida pelo deputado estadual e ex-adversário de Crivella, Marcelo Freixo. Por volta da meia noite de domingo para segunda, ele publicou em uma rede social que continuaria sua luta contra um ‘governo conservador’. Além disso, pediu que os militantes se inscrevessem em seu site para participarem de ‘ações’ (manifestações e protestos) contra o governo. #Marcelo Crivella #Eleições 2016