O novo presidente dos EUA, Donald Trump, garante que as empresas serão obrigadas, sob pena de multa, a dar preferência para empregados americanos. Isso poderá colocar em risco a permanência de muitos brasileiros que vivem nos Estados Unidos.

Logo que anunciou que disputaria a cadeira deixada por Barack Obama, Trump foi entrevistado pela emissora de TV americana, CBS, onde ele acusou brasileiros, japoneses, chineses e indianos de ‘roubarem’ empregos dos americanos, por conta da abertura comercial dos Estados Unidos. Trump foi enfático ao dizer que, se fosse eleito o novo presidente dos Estados Unidos, iria recuperar os empregos roubados por Brasil, China, Japão e Índia.

Publicidade
Publicidade

Em outra ocasião, enquanto disputava com seus adversários, a oportunidade de ser o candidato a presidência dos #EUA, citou o Brasil mais uma vez, dizendo que o país se aproveitava dos Estados Unidos. Anualmente, os EUA vendem para o Brasil cerca de 4 bilhões de dólares, valor muito maior que o investido em empregados brasileiros no país de Trump.

Propostas de governo

Dentre as propostas de governo do novo presidente, está a valorização do país acima de tudo e de todos, o que não é errado, mas afetará estrangeiros que foram viver nos EUA, unicamente para trabalhar. Donald quer que as empresas sempre deem preferência para os americanos, na hora de contratar, sob pena de multa, e ameaçou estudar a possibilidade de acabar com uma lei que permite que pessoas de outros países possam ir para os EUA a trabalho, representando as empresas em que são empregados em outro país.

Publicidade

Essa prática é comum em todo mundo e existe, inclusive, no Brasil.

O objetivo central das medidas que devem ser adotadas por Trump, é valorizar, investir e recuperar o status de potência, que o os Estados Unidos tiveram no passado. Com ideias nacionalistas, os americanos devem sair beneficiados, inclusive os que não votaram no candidato, pois ele almeja deportar todos os estrangeiros que vivem de forma ilegal no país: cerca de onze milhões no total. Os estrangeiros que já são erradicados americanos, também sentem-se amedrontados com a possibilidade de terem mais dificuldades para prosseguirem trabalhando no país.

Os Estados Unidos possuem uma enorme comunidade de estrangeiros, sobretudo latinos, vivendo no país. Mexicanos são a maioria, por conta da proximidade territorial. Brasileiros, japoneses, indianos, argentinos e chineses também somam milhões de pessoas. Entretanto, durante a campanha de Trump, ele mostrou-se mais firme com decisões contra latinos, muçulmanos ou nativos de países de maioria muçulmana, mesmo que essas pessoas não se declarem como tal. Donald chegou a se redimir e tentar consertar suas palavras, uma vez que, na época de suas polêmicas declarações, sua popularidade começou a cair. #Imigração #Donald Trump