Durante a campanha presidencial, Donald Trump já havia sinalizado que, se fosse eleito, nomearia um procurador especial para investigar a Fundação de sua adversária, #hillary clinton. Em um sistema eleitoral contestado pelos americanos, Trump sagrou-se campeão graças aos colégios eleitorais, mas a promessa parece não ter sido um blefe de campanha eleitoral.

Segundo divulgou o New York Post, Trump já prepara seu governo e mesmo antes de tomar posse, já está persuadindo uma estratégia para conseguir o apoio de outros países para investigar a Fundação Clinton. Ainda segundo o New York Post, quem revelou a informação, faz parte da equipe de Donald, mas não quis identificar-se para a publicação.

Publicidade
Publicidade

Essa tarefa será incumbida aos chefes de missões americanas exteriores (representantes diplomáticos) e que serão nomeados nas próximas semanas por Trump.

Investigações contra Hillary

Embora Hillary tenha sido ‘absolvida’ das investigações envolvendo inúmeros e-mails enviados e recebidos por ela, esse fato ainda faz parte da ‘pauta de Trump’. O republicano e sua equipe alegam que nada foi provado contra a ex-adversária, porque os e-mails passaram por edições.

Autoridades da França já começaram a investigar a Fundação dos Clinton, sob a alegação de que bilhões de dólares originários da França foram direcionados para a entidade. O New York Post ainda salienta que a fundação da família Clinton recebeu bilhões de vários países, como Arábia Saudita, Haiti, Kuwait, Suécia, Canadá, entre outros.

Publicidade

No dia 28 de outubro, o FBI anunciou que obteve novos e-mails de Hillary e que iria reabrir as investigações. Hillary, em contrapartida, pediu ao órgão que explicasse melhor do que se tratava a investigação.

Segundo James Comey, diretor do FBI, tais e-mails são da época que Hillary era Secretária de Estado e ainda não há qualquer indicio de crime por parte da mesma, mas que a agência de investigação obteve novos e-mails e deve aprofundar o inquérito para saber se existe alguma informação secreta contida neles. Hillary pediu que James divulgasse publicamente a investigação e os supostos novos fatos, para que os americanos soubessem o que estava acontecendo. James não divulgou nenhuma informação sobre a investigação até o momento. #EUA #Donald Trump