O VI Encontro Nacional de Juízes Estaduais (Enaje) começou nesta quinta (03) e irá até sábado (05). São esperados cerca de 700 juízes, além de grandes celebridades como, o juiz federal Sérgio Moro, o italiano, Gherardo Colombo, responsável pela Operação Mãos Limpas da itália, a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia e o ministro Ricardo Lewandowski. Esse evento foi organizado pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros).

Uma das coisas que está chamando a atenção é o patrocínio do evento. Uma das empresas responsáveis para bancar a cerimônia é a empresa dos grupos brasileiros Fibria e sueco-finlandês Stora Enso, a Veracel Celulose. Ela possui uma vasta ficha de condenações na #Justiça, como crimes ambientais, trabalhistas e fiscais.

Publicidade
Publicidade

Luxo

O Encontro é realizado em um ambiente de luxo, um paradisíaco resort em Arraial d'Ajuda, Porto Seguro, Estado da Bahia. O local possui uma piscina com 700 metros quadrados, uma praia privativa e um cais.

De acordo com algumas informações, a AMB não paga aos juízes hospedagem e nem passagem, mas garantiu aos magistrados descontos nos serviços que serão oferecidos. O valor da diária do resort está R$ 605. Pode ser que alguns tribunais pagarão as despesas de alguns magistrados.

Condenação

A empresa Veracel  já recorreu de várias ações em que foi submetida. Ela já ´foi condenada em segunda instância por não ter pago o IPTU para a cidade de Belmonte (BA). A empresa também já acionou a Justiça para reintegração de posse de algumas de suas terras. 

Parece que a Veracel gosta da Justiça. Ela possui 106 processos e é réu em 24 deles.

Publicidade

Em 19 dessas ações é alvo de execução fiscal e em 59 casos foi a empresa que acionou a Justiça. Existem dois recursos da Veracel  que estão em andamento na Corte Suprema.

Além da Veracel, a Caixa Econômica Federal também está patrocinando a cerimônia dos juízes, juntamente com a Bahiagás.

Em nota, a AMB disse que não existe nenhuma relação entre o apoio financeiro ao evento com o julgamento de processos que a empresa está sofrendo.

  #STF #Crime