443 ex-deputados federais foram denunciados nessa última quarta-feira (2) por peculato num escândalo antigo que ficou conhecido à época como 'farra das passagens'. Os ex-deputados são acusado de utilizar as passagens para fins que não tinha relação com o mandato público. As investigações já se arrastam há sete anos.

Ciro Gomes (PDT-CE), futuro candidato a presidência da República em 2018, é um dos parlamentares acusados. O ex-deputado e ex-ministro se defendeu afirmando que o que aconteceu foi uma confusão por parte a TAM em 2009. Segundo ele, a companhia aérea trocou os documentos dele e de sua mãe em uma viagem aos Estados Unidos. 

Ciro ainda afirmou que não tinha conhecimento da denúncia, e fez questão de ressaltar, em nota à imprensa, que economizou R$ 200 mil da cota de passagens aéreas reservada a ele durante o seu mandato na #Câmara dos Deputados

A nota divulgada afirma que Ciro tem 36 anos de vida pública e nunca respondeu nenhum inquérito por corrupção ou mal uso do dinheiro publico.

Publicidade
Publicidade

#Dentro da política