Hoje ganhou mais um capítulo a novela do apartamento do agora ex-ministro, Geddel Vieira Lima,com a confirmação de que Marcelo Calero teria gravado uma conversa com Michel temer, sem o conhecimento do presidente.

Marcelo Calero, ex-ministro da cultura do governo Temer, afirmou, em entrevista ao programa “Fantástico” da TV GLOBO, que sofreu pressão de vários integrantes do governo, para intervir a favor da construção de um edifício na Bahia em que Geddel possui apartamento comprado na planta. O empreendimento teve sua construção paralisada, por conta de uma decisão do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Publicidade
Publicidade

O órgão é subordinado ao Ministério da Cultura, portanto, Calero teria poderes para reverter o parecer do IPHAN, em favor do então ministro Geddel. O ex ministro da Cultura disse que foi procurado por Geddel, para falar a respeito do prédio em questão. Calero disse ainda que, o ministro chefe da Casa Civil também veio falar com ele em favor de Geddel e o orientou a enviar o caso para a AGU (Advocacia Geral da União).

Marcelo disse que contou ao presidente a respeito da pressão que estava sofrendo, Temer teria lhe oferecido apoio no caso. Mas afirmou que pouco tempo depois foi chamando por Michel, para comparecer em seu gabinete e que a postura do presidente foi diferente da anterior. Michel teria dito a Calero, que a questão de Geddel estava lhe causando “dificuldades operacionais” e assim como o ministro da casa civil, recomendou que ele enviasse o caso para AGU, pois considerava que o órgão acharia uma melhor solução para o caso.

Publicidade

Marcelo Calero disse que, a partir daí, sua situação se tornou desconfortável no Governo e acabou pedindo demissão pouco tempo depois.

A gravação

O ex-ministro da cultura contou que foi orientado, por amigos que trabalham na Policia Federal, a realizar gravações que lhe dessem respaldo para comprovar, em futuras investigações, a sua versão dos fatos, no entanto, assegurou que só gravou chamadas telefônicas de pessoas que ligaram para ele, e que o presidente aparece em apenas uma gravação que trata do seu pedido de demissão do ministério. O assunto referente à crise não teria sido citado na conversa. Ele negou ter gravado qualquer conversa com Michel Temer dentro do Gabinete da presidência.

Temer considerou gravíssima a atitude do ex ministro

O Presidente, durante entrevista coletiva para tratar do polêmico projeto de anistia de políticos que realizaram caixa dois, quando perguntado por um jornalista a respeito das gravações, classificou a atitude de seu ex ministro como “indigna” e “gravíssima” e cogitou determinar ao Gabinete de Segurança Institucional, que daqui em diante grave, de forma oficial, todas as conversas em seu gabinete e ainda defendeu a imediata divulgação das gravações que Marcelo Calero teria feito. #ministroadmitegravacao #calerogravoutemer