Após um ano de embates polêmicos entre Donald Trump e #hillary clinton, as #Eleições presidenciáveis dos Estados Unidos estão acontecendo. Os americanos estão divididos entre manter a política de sempre e que não tem agradado grande parte da população, ou arriscar em uma política nova e agressiva, que visa realizar mudanças significativas, das quais os americanos necessitam, mas estão inseguros em arriscar tê-las com Trump.

As cidades que já encerraram as votações de hoje, apesar de colocarem Hillary em vantagem, não são o bastante para dar uma visão geral de qual será o resultado dessa disputa, pois se tratam de pequenas cidades com número muito baixo de eleitores.

Publicidade
Publicidade

Em Dixville Notch, por exemplo, existem apenas oito eleitores registrados.

New Hampshire teve autorização para abrir as urnas antes das demais regiões, uma vez que a votação começou mais cedo e conta com poucos eleitores. Os grandes estados, como Nova York e Califórnia, devem ter seus primeiros resultados divulgados apenas algumas horas após o término da votação. Os Estados Unidos não possuem urnas eletrônicas, o que resulta em um certo delay na hora de contabilizar os votos.

Por enquanto, Clinton foi eleita na cidade de Hart's Location e Donald Trump em Millsfield. Ao todo, 225 milhões de americanos estão aptos a irem às urnas nessa terça-feira. A comunidade negra do país não está muito interessada pelas eleições, diferentemente de quando Barack Obama se candidatou.

Especialistas acreditam que pelo menos 130 milhões de americanos decidam votar no dia de hoje e não descartam que a polêmica que aconteceu em 2000 se repita, quando Al Gore foi anunciado como o nome presidente dos Estados Unidos e instantes depois mudaram o comunicado e deram a vitória para George W.

Publicidade

Bush, sendo esta, a eleição mais contestada da história dos Estados Unidos.

Para o horário de Brasília, o resultado só será conhecido na data de amanhã, já que as últimas urnas serão fechadas às 3h nos estados do Havaí e Alasca. O atual presidente americano, Obama, usou as redes sociais para pedir que as pessoas saiam de suas casas para votar. O voto não é obrigatório nos Estados Unidos.

Veja o pedido de Obama:

#Eleições EUA 2016