O diário oficial da União (DOU) publicou a nomeação do ex-ministro petista, Jaques Wagner, no sábado (19). A cerimônia de nomeação ocorreu na segunda-feira (21). O convite se deu pelo então colega de partido, Rui Costa (#PT-BA), atual governador do Estado da Bahia. Jaques será "coordenador executivo", uma espécie de cargo de confiança que responderá pelo "Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia (CODES)". O órgão é vinculado à "Secretaria de Relações Institucionais", afirmou a reportagem do site "G1".

O petista, afastado da vida pública desde o mês de maio deste ano, época em que a presidente #Dilma Rousseff sofreu o processo de impeachment, julgado pelo Senado Federal sendo presidido pelo ministro Ricardo Lewandowski, que, naquela ocasião, respondia pela presidência do Supremo Tribunal Federal (STF).

Publicidade
Publicidade

Wagner ainda no governo de Rousseff era o responsável pelo controle do gabinete da presidência. Isso é, coordenava todos os assuntos antes que chegassem aos ouvidos da ex-presidente Dilma. O ex-ministro fazia jus pelo cargo que exercia do tão cobiçado 'status de ministro', ou seja, gozava do direito de foro privilegiado o que segundo CODES garantiu que, tal prerrogativa, não aproveita ao atual coordenador executivo.

Com relação à nova função de Jaques, ela não será muito diferente da que exercia no mandato da ex-presidente Dilma, ou seja, o Conselho também é um órgão com finalidades para assessoramento, só que desta vez em esfera inferior à presidência da República, devendo observância ao governo do estado da Bahia.

O ex-ministro se dedicará na resolução de conflitos em torno da "elaboração de políticas públicas", além das "diretrizes voltadas à promoção do desenvolvimento sustentável" do Estado da Bahia.

Publicidade

Jaques comentou com entusiasmo a sua nomeação em uma rede social, demonstrando satisfação ao estar de volta a Bahia. O petista ressaltou que vai trabalhar firme no "projeto". Disse ainda que está no cargo de coordenador do Conselho. O ex-ministro enfatizou que: "Assumir a coordenação do CODES é desafio que me agrada e estimula", citou ainda que deverá conduzir o Conselho promovendo o "diálogo e mediação como método de gestão", afirmou que será o seu "modo de governar", concluiu a reportagem. #Política