A vida do ex-governador Anthony Garotinho pode se complicar ainda mais nos próximos dias. Garotinho e seu filho, Wladimir Matheus, foram denunciados por tentarem subornar o juiz da 100° Zona Eleitoral de Campos, Glaucenir Silva de Oliveira. De acordo com o juiz, Garotinho e seu filho se propuseram a dar quantias milionárias para conhecidos de Glaucenir, como uma forma dele mudar a sua decisão e evitar a prisão do ex-governador.

Garotinho foi preso na quarta-feira (16) por ter sido acusado de "comprar" votos em Campos dos Goytacazes. Nessa madrugada (19), a juíza Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), autorizou que o ex-governador fosse transferido do presídio de Bangu para o Hospital Quinta D'Or, para que exames fossem feitos.

Publicidade
Publicidade

Glaucenir denunciou o ex-governador à Procuradoria Regional Eleitoral do Rio (PRE/RJ), que pediu abertura de inquérito para a Polícia Federal investigar o caso.

Suborno

De acordo com o procurador, Sidney Madruga, foram feitos dois subornos, um no valor de R$ 1,5 milhão e outro R$ 5 milhões. Em troca disso, o juiz teria que favorecer o ex-governador e livrá-lo da prisão preventiva. Ainda segundo o procurador, existem outras denúncias envolvendo Garotinho. Ele está sendo acusado de tentar interferir no trabalho da Polícia Federal e ameaçar um promotor na cidade de Campos. Os dois casos permanecem em sigilo pela #Justiça.

Defesa

A defesa de Garotinho disse que as denúncias feitas pelo juiz são caluniosas. "Iremos representar contra o juiz por ter tido abuso de autoridade", disse o advogado Fernando Augusto Fernandes.

Publicidade

A defesa do ex-governador também declarou que ele temia ir para o presídio de Bangu por achar que ali poderia ser morto. Existem muitos traficantes e bandidos que ele mandou para lá, disseram seus advogados.

A sua mulher, Rosinha, disse que se o juiz deixa-lo preso lá, ele vai se responsabilizar pela vida do parlamentar. Garotinho foi secretário de Segurança e prendeu muitos bandidos, que hoje ainda estão por lá, disse a ex-governadora do Rio. #Rio de Janeiro #Corrupção