O juiz Sérgio Moro é o responsável pelas investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal em primeira instância, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná. Aos 44 anos, ele tem se tornado simbolo e "herói nacional" no combate à #Corrupção desenfreada que culminou em desvios bilionários que sangraram os cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobras. Uma das principais propostas do juiz federal, é poder restringir de modo acentuado, o alcance do foro privilegiado. De acordo com o magistrado, poderiam adquirir o foro tão somente presidentes dos três poderes da República: Executivo, Legislativo e Judiciário.

Publicidade
Publicidade

O magistrado paranaense decidiu conceder sua primeira entrevista a um meio de comunicação, após deflagrada a Operação Lava-Jato, que se iniciou no mês de março de 2014. O espaço onde o magistrado trabalha é um local repleto de documentos e anexos pilhados que deixam uma impressão caótica, devido ao grande número de processos. Os trabalhos são realizados no segundo andar do edifício da Justiça Federal de Curitiba, no bairro do Ahú, na capital paranaense. A rotina desempenhada pelo juiz se segue há mais de 20 anos, desde que ele iniciou na magistratura e vestiu pela primeira vez a toga. O juiz fez relevações muito importantes, como por exemplo, críticas direcionadas ao projeto de Lei de Abuso de Autoridade, que tem o apoio explícito do presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Publicidade

Segundo Moro, trata-se de "um risco à independência da magistratura o projeto de Lei de Abuso de Autoridade", ressaltou. O projeto alvo de críticas de Moro, é apoiado publicamente por Calheiros. Ainda de acordo com Sérgio Moro, o Congresso Nacional deveria se envolver no combate à corrupção e inclusive, fundamental importância, sinalizar para a criminalização do caixa dois.

 Crimes de corrupção

O juiz Sérgio Moro afirmou enfaticamente que se diz "chocado" pelas descobertas da Lava-Jato. Um dos fatores mais intrigantes, é a dimensão dos fatos, em poder ter presenciado a corrupção sistêmica, como se fosse a "regra do jogo", de acordo com as palavras de Moro. A prática da corrupção, como sendo algo natural, também chamou a atenção do magistrado. #SérgioMoro #Lava Jato