Nesta terça-feira (01) foi divulgada no sistema da Justiça Federal a lista das testemunhas de defesa do ex-presidente da Câmara dos Deputados, o deputado cassado #Eduardo Cunha do (PMDB-RJ). Tal listagem contém os nomes que fazem parte de sua defesa prévia. As testemunhas irão testemunhar no processo da Operação Lava Jato a favor de Cunha. O que mais surpreendeu a população foi que dentre os nomes aparece o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Além do ex-presidente Lula, outro que aparece na listagem é o atual presidente da República Michel Temer.

Eduardo Cunha já está preso, preventivamente, desde 19 de outubro.

Publicidade
Publicidade

Ele está sendo acusado de receber propina no processo de venda de um posto de exploração de petróleo na África, e ter lavado o dinheiro em contas na Suíça. Desde então, o ex-deputado cassado pela Comissão de Ética tem negado as acusações.

Os advogados de defesa de Cunha solicitaram que a denúncia contra seu cliente seja retirada. Além de terem solicitado que a acusação de #Corrupção passiva seja rejeitada. Eles afirmam, ainda, que não tiveram acesso a todas as provas. Que essa falta de disponibilização das provas, ou seja, de todo o material comprobatório levando pelo MPF, pode levar ao cerceamento do processo de elaboração da defesa. Mesmo assim, uma listagem com as testemunhas de defesa foi confirmada.

Lista de testemunhas

Na listagem publicada pelo sistema da Justiça Federal é possível observar que a característica das testemunhas de Eduardo Cunha está bem diversificada.

Publicidade

Ele convocou para sua defesa tanto agentes políticos, quanto servidores da Petrobras.

Além de com Lula e Temer, entre outros, a defesa conta com três deputados federais: José Saraiva Felipe, Mauro Lopes e Leonardo Quintão. Com três ex-deputados federais: Antônio Eustáquio Andrade Ferreira, João Lúcio Magalhães Bifano e Nelson Tadeu Filipelli.

Há também vários ex-servidores executivos da Petrobras: o ex-gerente Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos, o ex-diretor Nestor Cuñat Cerveró, o ex-engenheiro Sócrates José Fernandes Marques da Silva e o engenheiro Benício Schettini Frazão. #Política