Desde que Delcídio do Amaral foi preso, o mesmo decidiu falar tudo que sabia. Delcídio não foi acusado de corrupção ou desvio de dinheiro, mas tentava comprar o silêncio de Nestor Cerveró para seus ‘líderes’. O político foi liberto pela polícia, teve seu mandato cassado no Senado e uma delação aprovada.

Dentre as muitas revelações narradas por Delcídio, estão as partes em que menciona #Lula, alegando que o ex-presidente agiu para obstruir a #Justiça. Meses após ter sua delação aprovada e repercutida nos principais meios de comunicação, os advogados de Lula anunciaram um processo contra o mesmo, pedindo indenização de R$1,5 milhão por danos morais, uma vez que acusou Lula de obstruir a justiça.

Publicidade
Publicidade

Segundo publicação do jornal Valor Econômico, os advogados de Lula alegam que as acusações são mentirosas e o valor da indenização é para reparar os danos que sua honra e imagem sofreram.

Os dois advogados de Lula, afirmaram que o petista decidiu processar Delcídio, após uma audiência que aconteceu na 10ª Vara Federal de Brasília, no último dia 8 de novembro, ocasião em que os depoentes teriam inocentado o ex-presidente das acusações de obstrução da justiça. Para os advogados, Delcídio contou mentiras para manchar a honra de Lula.

Uma fase de medidas judiciais

Não é apenas Delcídio que virou alvo de Luíz Inácio Lula da Silva. Nos últimos dias, o petista também anunciou que processaria o delegado federal, Felipe Pace. O delegado citou a suspeita de que Lula é o ‘Amigo’ que aparece em uma planilha de pagamentos milionários de propinas da Odebrecht.

Publicidade

Lula decidiu não processar a Polícia Federal, que é órgão público e a ação é mais demorada e burocrática, mas optou em entrar com uma ação cível contra o delegado, a fim de que, se condenado, o mesmo arque com as despesas processuais, do próprio bolso. Lula pede uma indenização de R$100 mil por danos morais.

Justiça gratuita

Há algumas semanas, a jornalista Joice Hasselmann, contou através de um vídeo, divulgado por ela mesma, que Lula lhe processou, acusando-a de ferir sua honra ao falar sobre o mesmo e que ele teria pedido o benefício da justiça gratuita para prosseguir com a ação. A jornalista foi até a audiência de conciliação, mas Lula não compareceu, de forma que o juiz remarcou o encontro para o dia 13 de fevereiro.

Lula ou sua assessoria ainda não quiseram se manifestar sobre a ausência na audiência ou sobre o benefício da justiça gratuita, sendo este, destinado a pessoas que comprovem ser pobres, não possuindo condições financeiras para arcar com as despesas processuais. #Lava Jato