Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) estão muito preocupados com a megadelação da Odebrecht. De acordo com algumas informações, os ministros receberam notícias sobre o conteúdo das delações e existe um medo de isso causar uma grande instabilidade no país. As novas delações podem revelar crimes grandiosos atribuídos ao alto escalão da política brasileira.

Um dos investigadores da Operação #Lava Jato afirmou que ao receber o teor das delações, acredita que não "sobrará" nenhum político, todos acabarão tendo culpa em alguma coisa. O Supremo terá à sua disposição provas concretas e poderá abrir vários inquéritos para apurar os casos.

Publicidade
Publicidade

Não haverá dúvidas sobre a condenação desses políticos corruptos.

A Odebrecht forneceu prêmios para vários executivos fazerem a delação e ajudarem a empresa a se livrar de penas duras impostas pela Justiça. Um dos responsáveis por essa comunicação com os executivos é Emílio Odebrecht, considerado o "amigo EO" do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Save-se quem puder"

Os deputados com grande "pavor" da megadelação começam a buscar alternativas para se protegerem. Mas, e como fica a opinião pública?. Os deputados preparam uma "armação" para transformar o pacote anti-#Corrupção em "pizza", com anistia ao caixa 2 e esquecem que o povo quer os corruptos na cadeia.

Segundo informações, já existe um acordo com o Senado para que a "armação" seja aprovada e enviada para a assinatura do presidente Michel Temer.

Publicidade

Entre os citados pelos delatores, além de Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff, estão também Michel Temer e alguns dos seus ministros. Governadores também são alvos dos delatores, como é o caso do governador de São Paulo Geraldo Alckmin, o de Minas, Fernando Pimentel e do Rio, Luiz Fernando Pezão.

Lava Jato

Foram nove meses de luta para ocorrer a delação da Odebrecht e agora os políticos resolveram "correr" para aprovarem a anistia ao caixa 2 (o perdão de suas corrupções). Esse poder ser o fim da Lava Jato e tudo terminar como a Operação Mãos Limpas, ocorrida na Itália.

Essa quinta-feira (24) será um dia histórico, onde o Brasil decidirá qual caminho seguir. #STF