O ministro da Transparência do governo #Michel Temer, Torquato Jardim, ficou indignado com os deputados que tentam, nesta quinta-feira (24), votarem o pacote anticorrupção com anistia ao caixa 2. "Isso é um verdadeiro crime. Anistia jamais", disse o ministro. De acordo com Torquato, o caixa 2 é considerado crime pelo código eleitoral por apresentar à Justiça documentos falsos. O Congresso está apoiando o crime ao anistiar o caixa 2. Torquato já foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral e sabe de todas as regras e leis que devem ser respeitadas. Ele, inclusive, é considerado um dos maiores nomes do direito eleitoral brasileiro.

O presidente da #Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e os principais líderes dos partidos querem de qualquer forma aprovar a anistia ao caixa 2.

Publicidade
Publicidade

Para isso está sendo feito um tipo de "armação" antes que os 80 executivos da Odebrecht comecem a suas delações e compliquem a vida dos políticos.

Questão complexa

Segundo o ministro, o caixa 2 é crime e se for aprovado a anistia, a lei deixará impune todos os erros dos políticos no passado. "A questão jurídica é complexa", disse o ministro. Analisando os fatos, o ministro comentou que se a lei criminaliza a partir de agora, o que acontece com as coisas anteriores a lei nova?.

Torquato Jardim também disse que não concorda com um trecho da lei anticorrupção que cuida dos processos de leniência e do afastamento do Ministério Público Federal (MPF) dos casos que são apurados. "O Ministério da Transparência não pode ser um investigador único", comenta Jardim.

O ministro ressalta que é necessário um trabalho em conjunto entre o MPF, a Advocacia Geral da União, o Tribunal de Contas e o Ministério da Transparência.

Publicidade

Pedido de urgência

Nesta quinta-feira (24), foi aprovado na Câmara um pedido de urgência para o projeto de lei com as chamadas medidas anticorrupção. Os deputados lutam para que a anistia ao caixa 2 seja incluído no texto que será analisado. Através de votação, a maioria dos deputados rejeitaram o pedido para que todas as votações do pacote anticorrupção fossem por votação nominal. #Corrupção