Na tarde dessa quarta-feira (16) a esposa do ex-presidente da Câmara dos Deputados, #Eduardo Cunha (PMDB), a jornalista Claudia Cruz, teve que comparecer diante do juiz federal responsável pelo comando da Operação Lava Jato, Sérgio Moro.

Claudia foi intimada para responder as perguntas de Moro e dos procuradores da Lava Jato. A jornalista teve que se retratar sobre a acusação feita pelo Ministério Público de que ela mantinha uma conta no exterior em seu nome e que recebia recursos de pagamentos de propinas, ato que configura os crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Logo no início do depoimento, Sérgio Moro passou a Cláudia Cruz os tramites legais da audiência, afirmando que ela tinha o direito de permanecer calada e de não responder as perguntas que eventualmente poderiam ser feitas pelo juiz e pelo Ministério Público.

Publicidade
Publicidade

Claudia optou por permanecer calada e responder apenas os questionamentos de seus próprios advogados.

Perguntas feitas a ela por seus advogados

Cartão de Crédito

A jornalista concedeu um depoimento de pouco mais de oito minutos. Questionada sobre o cartão de crédito que ela possuía no exterior, Claudia afirmou que possuía apenas um cartão internacional que ela utilizava desde meados de 2008, 2009.

Sobre a utilização do cartão, ela afirmou que era utilizado exclusivamente para custear eventuais despesas dos filhos no exterior com mantimentos e material de estudo. E manter cartões em seu nome, era apenas para fazer viagens internacionais sem a presença do marido.

Assinaturas em contratos

Sobre as assinaturas em papéis e contratos de abertura de contas e aquisição de cartões, aos quais são material de investigação do Ministério Público, Cláudia afirmou que “assinava papéis sem saber sobre o que era”.

Publicidade

Ela afirmou que confiava no marido e que nunca se deu o trabalho de perguntar sobre o que se tratava.

Eduardo Cunha e Lava Jato

Uma declaração curiosa que Cláudia concedeu foi a de que seu marido, Eduardo Cunha sempre ficava nervoso, “muito bravo, com muita raiva e socava a mesa” quando assistia ou lia reportagens sobre o andamento das investigações da Operação Lava Jato que apontavam que ele estava envolvido.

Cláudia disse que toda vez que isso acontecia, Eduardo Cunha sempre gritava: “O meu dinheiro é lícito!”

Assista na integra o depoimento de Cláudia Cruz a Sérgio Moro

#Polícia Federal #Sergio Moro