O deputado federal brasileiro, #Jean Wyllys (PSOL-RJ), esteve nos Estados Unidos essa semana para participar de um evento chamado “brazil’s political future, what’s next?’ – o futuro da política brasileira, o que acontecerá?, exatamente na reta final da caminhada dos presidenciáveis norte-americanos, Hillary Clinton, do partido Democrata, e #Donald Trump, do partido Republicano. Claramente a favor da vitória da democrata, o defensor da causa LGBT no Brasil fez um vídeo na manhã dessa última terça-feira (8), para comentar, junto do seu amigo e professor brasilianista James N. Green, da Brown University, sobre o que as pessoas poderiam esperar dessa eleição americana que, para muitos, é uma das mais importantes da história do país.

Publicidade
Publicidade

No vídeo, feito ao vivo, Wyllys mostrou que estava ao lado de uma escola onde as pessoas estavam votando naquele momento e perguntou ao seu amigo James sobre o que ele estava achando da eleição nos Estados Unidos: “Eu acho bastante evidente que ela vai vencer, acho que ela vai ganhar por uma margem mais apertada nesse ano, mas para mim é uma votação que vai ser sentida no Brasil, pois Donald Trump representa a onda reacionária mundial, uma xenofobia, homofobia, racismo embutidos na sua campanha eleitoral. Representa as forças mais à direita. Mas a Hillary é uma opção de luta contra o fascismo que temos visto na campanha do Donald Trump.”, disse o professor da Brown University, em resposta a Wyllys.

Horas depois da transmissão ao vivo feita por Jean, veio o resultado e a vitória surpreendente do candidato republicano.

Publicidade

E com ela, também vários comentários passaram a surgir no vídeo feito pelo deputado federal do PSOL do Rio de Janeiro. Alguns, inclusive, citavam que o próximo passo, a partir de agora, é colocar Jair Bolsonaro na presidência da República.

Jean Wyllys, aparentemente bastante frustrado nas redes sociais, postou no twitter a seguinte colocação, logo depois da contagem dos votos e da vitória de Trump: “Mergulhamos na nova idade media (leia-se como pronunciam os americanos). Donald Trump presidente dos EUA é uma catástrofe.”, afirmou o deputado na rede social.