As investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, estão se aprofundando de tal modo, que já chegam a mirar em alvos do mundo futebolístico nacional. A força-tarefa investiga todo o processo e o esquema de #Corrupção que foi desenvolvido, com a participação de empreiteiras e políticos, em relação à construção e reforma de grandes Arenas de futebol. Um dos principais alvos é o Estádio "Itaquerão", que pertence ao Esporte Clube Corinthians Paulista. Uma das principais de linhas de investigação passa a ser a construção de enormes Arenas de futebol, construídas especialmente para a realização da Copa do Mundo no Brasil, durante o período de 2014.

Publicidade
Publicidade

Obras superfaturadas

Segundo a força-tarefa da Lava-Jato, que é comandada em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da sede da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, as arenas construídas e reformadas, custaram aproximadamente R$ 1,5 bilhão em superfaturamento. O dinheiro desviado de cofres públicos, serviu até para "molhar a mão" de políticos. O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez (PT-SP), tornou-se alvo de um inquérito que está sob sigilo e que obteve a autorização de investigação por parte do ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki. As suspeitas da Procuradoria-Geral da República, recaem sobre o parlamentar petista, apontam que ele possa ter praticado os crimes de lavagem de dinheiro, tráfico de influência e corrupção passiva. As delações premiadas do empresário Emílio Odebrecht e de seu filho Marcelo, corroboram, através de confirmação de que Sanchez recebeu caixa dois para sua campanha a deputado em 2014, através de pagamentos provenientes da empreiteira Odebrecht.

Publicidade

Os empresários afirmaram ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ex-presidente Dilma Rousseff, destravaram financiamentos na ordem de R$ 750 milhões, para a construção da Arena do Corinthians, que foi o palco da abertura da Copa do Mundo no Brasil. Os financiamentos foram logrados através do BNDES e da Caixa Econômica Federal. A Lava-Jato conseguiu chegar até o Corinthians, por meio de documentos apreendidos no escritório da Construtora Odebrecht. Os indícios dão conta de que foram pagos meio milhão de reais em caixa dois para Andrés Sanchez.

Defesas negam

A defesa de Andrés Sanchez afirma que não recebeu caixa dois da Odebrecht. Já o advogado de #Lula declarou que a Lava-Jato não conseguiu chegar ao ex-presidente. Já a assessoria de Dilma Rousseff, afirmou que não comentaria o caso, por não ter tido acesso ao conteúdo da suposta delação de Emilio e Marcelo Odebrecht. Segundo a Lava-Jato,  o modus operandi se assemelha ao escândalo dos desvios bilionários da Petrobras. Grandes empreiteiras recebiam dinheiro público desviado para a construção e reforma das Arenas de futebol e consequentemente, "molhavam as mãos" de políticos, através de pagamentos de propinas. #Lava Jato