Ainda buscando um norte desde o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o #PT enfrentou uma dura realidade nas urnas nas eleições municipais de 2016. O partido perdeu cerca de 60% das prefeituras que conquistou em 2012, caindo de 638 municípios para 254, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Estima-se que esse tenha sido o pior desempenho da sigla em 20 anos.

Para #Aécio Neves, senador e líder do #PSDB, a derrocada do PT na preferência do eleitorado reforça o grande momento vivido pelos tucanos. Somando apenas o segundo turno dessas eleições, o partido obteve 14 das 19 prefeituras em disputa e se consolidou como a segunda legenda com mais municípios vencidos, atrás apenas do PMDB.

Publicidade
Publicidade

"O que torna a nossa vitória ainda mais significativa é o resultado do partido que temos feito sistematicamente oposição. Entre as 90 maiores cidades que temos no Brasil, o PT vai governar somente uma delas", disse Aécio.

Por outro lado, o candidato derrotado por Dilma em 2014 não pregou o desejo de ver o PT "acabar". Em sua análise, o partido precisará se "reinventar".

"Em várias partes do país, o PT foi dizimado. Não acho que seja bom para o Brasil que o PT acabe. Eles vão precisar se reinventar".

Em termos de eleições presidenciais de 2018, o senador evitou fazer projeções e disse que não é esse o foco do PSDB no momento. Para Aécio, lançar um nome faltando dois anos para o pleito é um "desserviço" à sociedade.