Nestor Cerveró tinha uma vida digna de rei até o final de 2015. Como diretor da #Petrobras, ele recebia pelo trabalho 135 mil reais mensais, mas foi na propina que ele conseguiu acumular uma grande fortuna, foram mais de 40 milhões embolsados num período médio de dois anos. Com a moradia ele também ostentava, com vista privilegiada da praia de Ipanema, ele desfrutava do conforto de 300 metros quadrados de uma luxuosa cobertura que está avaliada em 9 milhões de reais, e preocupações com contas e pagamentos, era algo que ele certamente não tinha.

Mas a boa vida ficou definitivamente para trás, a Justiça bloqueou todas as suas contas, e o que não faltam, são contas chegando e credores cobrando, incluindo uma multa de 17 milhões que foi requerida na ‘#Lava Jato’.

Publicidade
Publicidade

O nobre ‘senhor’ está contando as moedinhas para quitar a dívida até o dia primeiro de janeiro de 2017, ou terá de voltar para trás das grades, perdendo o direito de prisão domiciliar.

Sem seus ‘colaboradores’ políticos, ele está ‘penando’ para levantar o dinheiro, chegando até a reivindicar o ‘troco’ de 459 mil reais, referentes à herança deixada por seu pai, que, atualmente, estão com a mãe do réu, e, para isso, ele entrou com uma ação na 12ª Vara de Órfãos e Sucessões do Rio de Janeiro. Carmem Cerveró tem 90 anos de idade, e possui uma carta escrita à mão por Nestor, onde ele abria mão dos valores herdados na ocasião. A irmã dele, Mary Cerveró, recebeu a notícia com espanto e surpresa.

O delator, atualmente, se encontra em Petrópolis, mas sua prisão domiciliar tem causado alguns aborrecimentos ao ‘distinto’ senhor.

Publicidade

Por se tratar de região serrana, a tornozeleira de monitoramento da Justiça, perde o sinal de GPS com muita frequência, e por esse motivo, ele tem sido mais observado, e recebido ligações diárias de agentes da Justiça, se certificando que ele se encontra no local, e para piorar, ele precisa ficar um tempinho (cerca de dez minutos) no quintal da casa, para que restabeleçam o sinal do aparelho. Mas este problema parece que está quase acabando, afinal se até o dia 1 de Janeiro ele não conseguir quitar a multa, uma cela estará reservada no presídio de Curitiba, e o que não faltará, são agentes empenhados em vigiá-lo bem de pertinho. #Nestor Cerveró