Um apelo para a sociedade brasileira foi feito pelo Procurador Regional da República, Carlos Fernando dos Santos Lima. Ele pede atenção para a proposta de anistia do "caixa dois" que circula na Câmara dos #deputados. O procurador enfatizou que crimes como lavagem de dinheiro e #Corrupção não devem ser perdoados, mas sim, barrados pela sociedade.

Os executivos da empreiteira Odebrecht fecharam acordo de delação premiada e, com isso, vários parlamentares podem ser acusados de crimes, envolvendo grandes nomes como o atual presidente Michel Temer (PMDB), Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e o ex-presidente Lula (PT). O procurador enfatizou que "hoje é dia de boxe", dizendo que os deputados devem "cair em si", ter consciência de suas atitudes para reverter o quadro.

Publicidade
Publicidade

Lima compareceu na convenção da Mérida, da Nações Unidas, no workshop foram discutidas as medidas contra a corrupção.

Lima disse que só a sociedade é capaz de impedir o que está acontecendo no Congresso Nacional, ele analisa que o texto substitutivo, que visa anistia ao "caixa dois", é algo preocupante e o que estaria em jogo é algo "muito maior", ele fala que querem soltar os criminosos que foram pegos pelas investigações das operações da Lava Jato.

Rodrigo Janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi questionado sobre a proposta das "dez medidas contra a corrupção", ele acredita que os políticos serão fiéis aos 2,5 milhões de assinaturas coletadas para a aplicação das medidas contra a corrupção. Sobre a anistia ao "caixa dois", Janot diz que isso causará consequências envolvendo processos que estão acontecendo e que foram finalizados, ele lembrou que a Lei Penal é retrógrada para ajudar quem é acusado, dessa forma nunca o prejudica.

Publicidade

Michel Temer

Segundo o presidente da comissão de Direito Eleitoral do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), Fernando Neisser, a aprovação da anistia ajudaria o atual presidente Michel Temer, que, consequentemente, teria dificuldades de ser cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). #AnistiaCaixa2