O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, está envolvido em nova denúncia de #Corrupção, segundo investigações da Polícia Federal.  As denúncias se referem ao potencial "arrasador" da colaboração premiada firmada entre o dono da Construtora Odebrecht e cerca de cinquenta executivos da empresa. Os detalhes do acerto para a concretização da delação premiada foram efetivados na semana passada entre o empresário Marcelo Odebrecht e a força-tarefa da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, que é comandada pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Lula implicado

Segundo as investigações da Polícia Federal e Ministério Público, #Lula teria se beneficiado de R$ 15 milhões em propinas oriundas do mega esquema de corrupção de conta-propina da empreiteira Odebrecht.

Publicidade
Publicidade

Além desse montante, constam evidências, através de rastreamento, de que o ex-presidente já teria embolsado R$ 8 milhões. Os valores mencionados constam a partir de documentos apreendidos pela Polícia Federal e revelações de empreiteiros, inclusive sobre o papel do ex-ministro do governo Lula, Antônio Palocci. Segundo os procuradores da força-tarefa da Lava-Jato, a Odebrecht teria destinado milhões de reais a Lula, de acordo com relatórios de planilhas, em que o ex-presidente figurava com o codinome de "amigo". Um dos operadores das transações ilegais que beneficiaram Lula, é o ex-ministro Palocci, que encontra-se preso nas dependências da Polícia Federal, em Curitiba.  Outro fator que complica ainda mais a situação do ex-presidente Lula, é a suposta sede onde funcionaria o Instituto Lula.

Publicidade

Segundo as investigações, o terreno onde funcionaria a entidade do ex-mandatário do País, teria sido pago pela empreiteira Odebrecht, através do esquema de corrupção e distribuição de propinas. O terreno, embora não seja onde funciona o Instituto Lula, esta localizado na Rua Doutor Haberbeck Brandão, número 178, em São Paulo-SP. A construção não teria sido arcada lá, porém, de acordo com as palanilhas, o negócio teria sido celebrado pela D.A.G Construtora. Além disso, em planilha apreendida da Odebrecht, consta sob a rubrica, a inscrição "Prédio (IL)". #Lava Jato