Daqui 40 dias, #Fernando Haddad (PT-SP), deixará a prefeitura de São Paulo, para que esta seja assumida por João Doria (PSDB-SP), que venceu a eleição no primeiro turno. Como Doria prometeu realizar inúmeros cortes, Haddad já adiantou dois deles, fato que desagradou dois grupos minoritários da cidade: os bailes funks e os rolezinhos.

Após os constantes tumultos por conta de bailes funk realizados em vias públicas de regiões periféricas, gerando transtornos para os moradores locais, a prefeitura de Haddad criou o Funk SP, que na prática era mais conhecido como “Pancadão Oficial”.

O mesmo aconteceu com os Rolezinhos, que nada mais são do que jovens da periferia ou de favelas, que marcavam encontros pela internet, indo para shoppings da cidade em grupos com centenas de pessoas, sob o argumento de que o pobre também podia ir ao shopping e não só o branco burguês.

Publicidade
Publicidade

Lojistas reclamaram, houve inúmeros tumultos entre grupos e a PM, pessoas começaram a deixar de frequentar os estabelecimentos nos finais de semana e lojas fechavam quando os enormes grupos surgiam em forma de multidões.

O prefeito então criou o “Rolezinho da Cidadania”, que tirou os jovens dos shoppings para concentrá-los em lugares definidos pelo projeto. A ideia deu certo e evitou mais prejuízos para lojistas e a economia da cidade, além de permitir que famílias voltassem a frequentar os shoppings normalmente.

Os dois projetos foram lançados oficialmente por Fernando Haddad, em 2015, obtendo um investimento de R$9,6 milhões, mas desde junho que não acontecia mais nenhum evento. Com o corte oficial, os bailes funk em via pública e a invasão de grupos em shoppings podem voltar a acontecer.

Publicidade

Pela internet, internautas e movimentos de minorias que participavam dos eventos, reclamaram da decisão do #Governo municipal.

O projeto não deve ser retomado na prefeitura de João Doria, que afirmou que investirá no essencial e fará cortes para conter a #Crise. Além disso, Doria deve reduzir as secretarias municipais em 50% logo nos primeiros meses de governo.

Por outro lado, os meios de lazer não serão cortados pela nova gestão política e continuarão sendo mantidos pela prefeitura, como teatro, apresentações musicais em eventos culturais, cursos gratuitos de artes e música, além dos inúmeros parques públicos da cidade.