Renan Calheiros, presidente do Senado Federal, propôs em um almoço com autoridades um pacote de medidas 'anti-Judiciário'. Segundo o jornal 'Estadão', nesta reunião-almoço, Calheiros teria buscado respaldo para um pacote de ações contra os magistrados, junto à Câmara dos Deputados e do Tribunal de Contas da União. Tal encontro foi realizado no sábado, na residência oficial do presidente do Senado Federal - o almoço teria sido regado a 'feijoada e caipirinha', aponta a fonte.

Teriam participado do encontro o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e o presidente da República, Michel #Temer. Também estaria presente ainda o líder do PMDB no Senado e um dos secretários de governo de Michel Temer e também 'cacique' no PMDB, Moreira Franco.

Publicidade
Publicidade

Figuras como José Sarney, Aroldo Cedraz, Vital do Rego Filho também estiveram presentes no almoço segundo o editorial do Estadão. Mas, quando procuradas, nenhuma das assessorias dos nomes publicados na matéria se manifestaram a respeito do assunto.

A pauta principal a ser debatida durante o almoço seria justamente o "pacote" com medidas contra o Judiciário de #Renan Calheiros. Nesta última quinta-feira, o presidente do Senado resolveu passar um pente-fino nos contracheques de quem estoura os limites de remuneração do funcionalismo público federal. Os alvos da vez seriam os super-salários pagos a servidores do Ministério Público e a juízes.

Ainda nesta semana é possível que Renan Calheiros anuncie um novo relator para o projeto de lei sobre abuso de autoridade, na prática essa lei visa limitar o campo de atuação dos investigadores, proposta essa duramente criticada por representantes da Operação Lava jato.

Calheiros deve permanecer na presidência do Senado até o mês de fevereiro e deixar essas 'heranças' para a gestão de seu substituto.

Publicidade

Ele ainda teria declarado que a proposta de investigação dos super-salários deveria "incomodar muito". Renan criticou ainda o fato de a pena máxima a ser aplicada a um juiz é a aposentadoria compulsória. #Lava Jato