Nesta última quarta-feira (23), uma emenda caminha pelo Congresso Nacional, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e líderes de partidos políticos tentarão anistiar uma medida que proíbe que políticos e partidos políticos sejam punidos caso recebam doações para campanhas eleitorais, sendo essas doações ou serviços, contabilizados ou não.

Caso a emenda seja realmente aprovada, políticos que são alvo das investigações da operação Lava Jato poderão se safar, pois nas investigações muitos políticos são apontados praticando o chamado "caixa dois", que nada mais é, receber recursos ilícitos vindos de empreiteiras, alguns políticos já dizem em depoimentos que os recursos que receberam seria para campanhas eleitorais.

Publicidade
Publicidade

As propostas poderão ser aprovadas nesta noite de quarta-feira, juntamente com o pacote de medidas propostas pelo Ministério Público Federal, o pacote das medidas anticorrupção.

Rodrigo Maia quer que a votação não prejudique a imagem de deputados, então a intenção é uma votação de forma "simbólica", sem divulgação de nomes.

Muitos políticos temem as delações premiadas, e a delação da empreiteira Odebrecht é uma das mais "ameaçadoras", pois a empreiteira é a que mais financiou políticos, cem parlamentares podem estar envolvidos.

A aprovação da emenda seria usar dinheiro público sem consentimento da #Justiça, o presidente do Conselho de Ética, o deputado José Carlos Araujo (PR-BA), disse que foi procurado para assinar, ele disse que aprova a proposta.

O crime de caixa dois é classificado em delitos, como por exemplo, de falsidade ideológica, os deputados e grupos favoráveis à emenda, acreditam que a Lei Penal não se pode basear em acontecimentos passados, prejudicando o acusado.

Publicidade

Anistiar os crimes de caixa dois também fará com que uma ligação de crimes como lavagem de dinheiro e #Corrupção não sejam realizadas, então parlamentares não seria enquadrados pela polícia para prestar esclarecimentos, livrando muitos das investigações da operação Lava Jato. Quase todas as legendas discutem a proposta. #impunidade