Nesta segunda-feira (14), o juiz #Sergio Moro mandou o responsável pelas investigações da Lava Jato refazer todo o processo documental da Polícia Federal (PF), ao constatar a presença do nome do ministro do Supremo Tribunal Federal (#STF), José Antônio Dias Toffolli, em páginas do relatório 744/2016. O conteúdo envolve documentos apreendidos com Maurício Bumlai, filho do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em meio aos registros de Mauricio foram encontradas nformações pessoais relacionadas ao Partido dos Trabalhadores (PT). Também foi localizado o nome de Toffoli entre os pertences.

Publicidade
Publicidade

Ocorre que a PF, em decisão exclusiva, achou por bem inserir o nome do ministro no relatório, sugerindo uma espécie de 'intimidade' entre os familiares de Bumlai e integrante da Suprema Corte.

Os registros chegaram das mãos do delegado Filipe Hille Pace, responsável pela investigação da família Bumlai. Nesta última sexta-feira, foi devolvido o relatório da PF com diversas observações do juiz Sérgio Moro. As notificações do magistrado alertaram para que "a simples menção a nomes", num primeiro momento, mesmo junto aos pertences do suspeito, não indica a existência de envolvimento em formas direta ou indiretamente em relação ao acusado, ou seja, não há como associar o nome encontrado ao acusado.

Diante das circunstâncias, Moro determinou, de forma imediata, logo de manhã, na segunda-feira, a "exclusão do nome de Toffoli do relatório".

Publicidade

As informações são de autoria da revista "Veja", a qual esclareceu que o juiz, se mostrou 'indignado' com a citação, principalmente, "sem base qualquer", conforme exclamou o comandante da Lava Jato.

Nesse ínterim, o juiz mandou intimar o delegado Filipe, imediatamente, pelo telefone, informando que a nova documentação deverá ser sem as induções, ou seja, o juiz quer um novo relatório somente com a narrativa do ocorrido e não das conclusões da PF.

Logo em seguida, o delegado tomou as providências e encaminhou os arquivos imperfeitos ao "Núcleo de Análise do Grupo de Trabalho da #Lava Jato", para os devidos ajustes.