Delcídio de Amaral foi a primeira testemunha a depor contra o ex-presidente #Lula, nesta segunda-feira (21). O protagonista, no entanto, da audiência foi Sérgio Moro, que teria gritado com um dos advogados do petista. A informação é da revista Veja. De acordo com a publicação, o juiz federal ficou irritado com as sequências de pedidos de questões de ordem da defesa de Lula enquanto o Ministério Público e ele questionavam Delcídio.

Como defesa, Lula tinha Cristiano Zanin Martins, Roberto Teixeira, Jair Cirino dos Santos, José Roberto Batochio e Juarez Cirino dos Santos.

Advogados do ex-presidente Lula argumentaram na audiência, por diversas vezes, que as perguntas de Moro e as respostas de Delcídio abordariam pontos fora do processo, e, assim, novas perguntas poderiam ser feitas pela defesa.

Publicidade
Publicidade

O embate começou quando Sergio Moro questionou sobre a mudança na lógica de indicações à diretoria da Petrobras a partir do enfraquecimento do governo Lula. O diálogo foi divulgado pela revista Veja:

Sérgio Moro VS Lula

O advogado de Lula pediu "questão de ordem" e afirmou Sérgio Moro estava "ferindo" o direito de "ampla defesa".

Apesar de #Sergio Moro afirmar que havia uma “ordem legal”: que primeiro seria o Ministério Público, logo em seguida a defesa e o esclarecimento de juízo, o advogado do ex-presidente continuou pressionando o juiz federal. Neste momento, Moro aumentou o tom de voz e afirmou categoricamente que estava de acordo com as regras.

O advogado do petista continuou protestando contra as perguntas do juiz federal. Moro decidiu continuar e finalizou o embate.

Em nota, a defesa de Lula afirma que a testemunha (Delcídio) não apresenta fatos concretos que confirme a “tese acusatória”.

Publicidade

Na semana passada, o ex-presidente chegou a pedir a prisão do juiz federal por abuso de autoridade. Lula é acusado de usar bens oriundas de propinas da Petrobras na aquisição de um triplex no Guarujá. A denúncia foi feita pelo Ministério Público. O petista nega as acusações e diz estar sendo perseguido politicamente pela Lava Jato. #PT