Nessa terça-feira (08) durante um discurso em um evento voltado a empresários e executivos de diversos segmentos da economia brasileira, o presidente Michel Temer (PMDB) fez duras críticas às ocupações de escolas públicas e de universidades feitas por estudantes que são contrários à reforma do ensino médio. Segundo ele, as pessoas que fazem parte de movimentos sociais desse tipo, não têm o mínimo de respeito pelas instituições, e que o ato de ocupar prédios públicos é uma fraqueza, pois essas pessoas que fazem esse ato, não possuem nenhum tipo de argumento físico ou verbal para defender sua posição sobre a reforma do ensino.

“Precisamos aprender a ter respeito pelas instituições e parece que hoje, o que menos se está fazendo é isso, respeitar as instituições”.

Publicidade
Publicidade

Temer citou aos convidados do evento, fatos que estão se tornando comuns em atos e #manifestações, como a queima de pneus, que em seu ponto de vista, são a forma das pessoas que não possuem nenhum tipo de argumento intelectual e verbal para se defender e por isso se faz uso, do que ele classificou como "argumento físico".

“Vai e ocupa não sei o quê e bota pneu velho em estrada para parar o trânsito”.

Temer ironizou as pessoas que não sabem o que é uma PEC

O presidente ainda fez ironia com as pessoas que desconhecem o que é um PEC (Proposta de Emenda a Constituição).

“Pergunto, você sabe o que é uma PEC? É uma 'Proposta de Emenda Comercial'. Estou dando um exemplo geral para vocês verem como as pessoas debatem o assunto, sem ao menos ler o conteúdo do texto”.

Ele ainda defendeu sua tese afirmando que essa discussão não é recente e que há bastante tempo o tema é discutido.

Publicidade

Para ele, a real intenção da reforma não é, de forma alguma, prejudicar o ensino público e por consequência, seus alunos.

Apesar de se mostrar firme em seu discurso, interlocutores do #Governo afirmam que Temer está preocupado com as ocupações em escolas e universidade, porque isso pode dar fôlego a manifestações contra o governo que estavam adormecidas desde a destituição do poder da ex-presidente Dilma Rousseff. #Michel Temer