O presidente Michel Temer concedeu uma #entrevista esclarecedora e contundente ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite dessa segunda-feira (14). Temer discutiu e expôs pontos de vistas muito importantes de assuntos da atualidade como a possível prisão do ex-presidente, Luiz Inácio #Lula da Silva, e seu impacto para o país, respondeu sobre o pacote de projetos que estão em discussão no Congresso Nacional, comentou sobre a lei de abuso de autoridade entre outros importantes assuntos.

Confira as principais declarações de Temer ao programa “Roda Viva”.

Prisão de Lula

Ao ser perguntado sobre a eventual prisão do ex-presidente Lula, #Michel Temer disse que a prisão do petista pode trazer um clima generalizado de instabilidade no país.

Publicidade
Publicidade

O peemedebista acredita que é preciso ter cautela e “naturalidade” na condução do processo.

“Se você me perguntar se haverá problemas para o país se Lula for preso. Eu respondo que sim, pois movimentos sociais contestarão a prisão e isso poderá criar uma grande instabilidade no país”.

Lei de abuso de autoridade

Em relação à discussão da lei de abuso de autoridade que se encontra em discussão no Congresso Nacional, Temer foi enfático e afirmou que as novas propostas (caso sejam aprovadas) não irão paralisar, de formar alguma, o andamento das investigações da Operação Lava Jato.

Irregularidade na campanha de 2014

Michel Temer comentou sobre as acusações feitas contra ele, acusações de que o seu partido recebeu dinheiro ilegal (R$ 11 milhões) de duas empreiteiras para financiamento de campanha.

Publicidade

“Ninguém deve ser morto politicamente, só por ser investigado”, afirmou ele, fazendo referência a ministros de seu próprio governo que terão que responder judicialmente, após terem seus nomes citados pela Justiça.

Lava Jato

Temer defendeu a autonomia do judiciário e do Ministério Público. Para ele, caso seja confirmado o envolvimento de integrantes de seu governo no esquema de recebimento de propinas da Petrobras, é necessário apenas ter paciência, e o que realmente importa é deixar o poder judiciário exercer seu papel.

Endividamento dos estados

Temer afirmou que destinará cerca de R$ 51 bilhões para os governadores que estão com problemas financeiros. O Rio de Janeiro por exemplo, ficará com cerca de R$ 20 bilhões de recursos provenientes de repatriação de recursos do exterior (não declarados à Receita Federal).

Parlamentarismo

Temer defendeu, durante a entrevista, a substituição do sistema presidencialista pelo parlamentarista. Ele acredita que uma proposta deve ser formada e enviada ao Congresso.

Publicidade

Após discussão no Congresso, deverá ser levado a referendo popular, com uma proposta detalhada e não de forma direta e sem maiores explicações como aconteceu em 1993.

Futuro

Ao final da entrevista, ele garantiu que não tentará a reeleição e que apenas quer ser lembrado como o presidente “que colocou o país nos trilhos”. Mas não garantiu que tornará o Brasil a segunda maior economia do mundo, tendo à frente apenas a maior potência do mundo, Estados Unidos.