A senadora da República, Gleisi Hoffmann (PT-PR), tornou-se alvo de mais uma investigação da #Polícia Federal. O ministro Teori Zavascki autorizou a abertura de um novo inquérito contra a parlamentar, sob a acusação e corrupção passiva.

A autorização de Teori é um deferimento de um pedido feito pela Procuradoria Geral da República. O pedido contra a senadora surgiu após a Polícia Federal apreender uma planilha da Odebrecht, que estava sob poder da ex-funcionária da empresa, Maria Lúcia Guimarães Tavares, e que é apontada pelos investigadores, como a responsável pela administração e controle das propinas.

O inquérito correrá em segredo de justiça, a fim de que nenhuma ação venha a prejudicar o andamento dos atos investigatórios.

Publicidade
Publicidade

Por ser sigiloso, nem mesmo o advogado de Gleisi pode ter acesso a investigação, exceto as diligências que já tenham sido concluídas e estejam documentadas. Enquanto não estiverem concluídas, permanecem em segredo de justiça.

O advogado da senadora, Rodrigo Mudrovitsch, emitiu uma nota dizendo que ainda não possui acesso ao inquérito e por isso só se pronunciará a respeito, após analisar todo o conteúdo da investigação. Gleisi não se pronunciou sobre o ocorrido.

Hoffmann, atualmente, é ré em uma ação penal, da qual é acusada de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, pelo desvio de R$ 1 milhão pertencentes a Petrobras, no esquema mais conhecido como, Petrolão. Caso venha a ser condenada, além de ser presa, a senadora poderá ficar inelegível por até oito anos.

Hoje Teori também autorizou a abertura de uma investigação contra outro deputado petista, o Andres Sanchez, que também é ex-presidente do Corintians.

Publicidade

O parlamentar é suspeito de ter recebido R$ 500 mil de propinas da Odebrecht durante a construção do estádio utilizado pelo clube paulista. O deputado não se pronunciou sobre o caso e sua defesa alegou que não foi notificada, logo, só falará sobre o assunto quando tiver acesso a investigação. Tanto a investigação contra Sanchez, quanto a contra Gleisi, logo repercutiram nos principais meios de comunicação. #Lava Jato #Congresso Nacional