Nesta quarta-feira (21), as empresa #Odebrecht e Braskem admitiram que pagaram mais de 1 bilhão de dólares em propinas em 12 países. A soma mais exata é de U$788 milhões pagos pela Odebrecht e U$250 milhões pagos pela Braskem.

Essa divulgação foi feita após o pronunciamento da Justiça do Estados Unidos, relatando os acordos de leniência. O departamento ainda se pronunciou dizendo que esse "é o maior caso de suborno da historia".

O acordo de leniência é a admissão de culpa da empresa em atos ilegais, o mesmo foi assinado pelas empresas em troca de benefícios. Um dos benefícios é que as empresas Odebrecht e Braskem se comprometeram a pagar uma multa de R$ 6,9 bilhões em 20 anos, e esse valores serão ajustados chegando a aproximadamente R$ 8,5 bilhões.

Publicidade
Publicidade

Segundo ainda o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a Odebrecht pagou para manter mais de 100 projetos em 12 países, sendo eles Angola, Argentina, Brasil, Colômbia, República Dominicana, Equador, Guatemala, México, Moçambique, Panamá, Peru e Venezuela. Essas propinas foram pagas entre os anos de 2001 e 2016, e chegou ao valor U$ 788 milhões.

Já a Braskem pagou mais de U$ 250 milhões entre os anos de 2006 e 2014 e teve diversos benefícios, entre eles: tarifas preferenciais da Petrobras pela compra de matérias-primas utilizadas pela empresa; contratos com a Petrobras; legislação favorável e programas governamentais que reduziram os passivos tributários da empresa no Brasil.

O Ministério Público brasileiro se pronunciou que, nos acordos, as duas empresas revelaram e se comprometeram a revelar fatos ilícitos praticados na Petrobras e em outras esferas de poder, envolvendo agentes políticos de governos federal, estaduais, municipais e estrangeiros.

Publicidade

Além da revelação dos fatos, objetivo central da leniência segundo o MPF, os acordos permitem a preservação das empresas e a continuidade de suas atividades, inclusive para gerar valores necessários à reparação dos ilícitos.

A Odebrecht divulgou uma nota que diz "se arrepende profundamente da sua participação nas condutas que levaram a este acordo e pede desculpas por violar os seus próprios princípios de honestidade e ética". #Lava Jato