Ronaldo Caiado (DEM-GO) é líder do partido no Senado e manda um recado ao Presidente Michel Temer. Caiado pede a #Temer que renuncie ao mandato e proponha eleições gerais, incluindo também todo o Congresso Nacional.

O líder do DEM declarou que, após a delação da Odebrecht, que expõe parlamentares de vários partidos e ainda o próprio presidente, juntamente com os membros do governo, é preciso refletir. Afirmou que o legislativo e o executivo estão sob suspeita.

Proposta de Ronaldo Caiado

#Ronaldo Caiado propõe que o executivo e o legislativo façam um mea culpa, para mostrar ao povo que 'ninguém governa sem o apoio popular'.

Publicidade
Publicidade

É preciso fazer um exame de consciência, para preservar a democracia e analisar se o governo atual tem legitimidade para legislar e governar.

Disse ainda que não se deve ter medo de uma antecipação do processo eleitoral. Caiado negou que estivesse falando diretamente sobre uma #Renúncia comprovada de Temer.

Sobre o Presidente Temer

O líder do DEM afirmou ainda que acredita que Temer saberá delimitar esse momento. Diz que Temer deverá ter a sensibilidade que não teve a ex-presidente Dilma.

E sugere que não é provocando a sociedade, insistindo em uma tese que não vai sobreviver, que contornará os problemas trazidos pela ruas. Disse que é preciso discernir entre o que está sendo feito pelo governo com o que está sendo aceito pela sociedade.

Pedido de Caiado

Ronaldo Caiado novamente disse que não era um pedido pessoal para renúncia de Temer e que o pedido não era direcionado só para Temer.

Publicidade

Entretanto, estava fazendo uma reflexão pessoal como parlamentar, sobre o que poderia ser melhor para o país neste momento.

Em nota, José Agripino (RN), presidente do Democratas, afirmou através de sua assessoria, que o pedido de renúncia do presidente, era um posicionamento pessoal de Caiado, e que não representava a posição da bancada ou do restante do partido.

Ronaldo Caiado aprovou hoje, no Senado, a votação da Pec 241, na qual o governo propôs o limite dos gastos públicos. Parlamentares da oposição também pediram, a renúncia de Temer por não estar em condições de governar e votaram não à Pec.