Em uma semana que o país parou por conta da tragédia envolvendo 64 brasileiros, no voo da Chapecoense, a política nacional ficou em cenário secundário. Nos últimos dias, o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, afirmou que #Lula será o candidato do partido em 2018.

O objetivo do político, entretanto, pode ser frustrado pela atual condição em que o ex-presidente se encontra. Lula começará a ser julgado em breve, em um dos processos criminais que responde atualmente. Até o momento, os investigadores obtiveram indícios suficientes dos supostos crimes cometidos pelo ex-presidente, além de existirem delações que entregam esquemas de corrupção.

Publicidade
Publicidade

O que cabe ao ex-presidente e seus advogados, é provar que os indícios e delações são falsas e que ele nunca teve nada a ver com os crimes que lhe foram imputados, entretanto, até o momento, seus representantes só têm tentado extinguir o processo ou retardar o andamento do mesmo, não apresentando nenhum material que absolva seu cliente.

Logo, nos próximos dois anos, Lula corre o risco de ser preso ou como o ministro das relações exteriores, José Serra, informou em uma entrevista, o ex-presidente poderá aproveitar a repercussão de sua denúncia junto a ONU, para fugir e pedir asilo político em um país amigo, como Venezuela ou Cuba, o que prejudicaria o Brasil.

A denúncia feita por Lula, aliás, não possui valor legal em um processo. O Conselho de Direitos Humanos da ONU, assim como a própria ONU, não pode interferir na política de nenhum país, bem como em processos.

Publicidade

Logo, protocolar o pedido junto ao órgão internacional não muda em nada as lides das quais o ex-presidente figura como réu ou investigado. A função e decisões proferidas pelo Conselho, só possuem efeitos no cenário internacional, além de só poder realizar recomendações para os casos que julga.

Rui Falcão deixará a presidência do #PT em 2017 e já se mostra otimista em indicar Lula para ficar em seu lugar. Para ele, a perda de mais 60% das prefeituras na última eleição, corresponde aos erros internos, mas também a uma suposta onda de perseguição contra o partido, esta que por sua vez e segundo as palavras de Rui, o juiz federal, Sérgio Moro, tem papel de destaque na suposta perseguição. #Eleições