Não é apenas a crise econômica, a violência e o crescimento do trabalho informal que estão afundando o estado do Rio de Janeiro. No âmbito político, também existem lacunas gerando mais dor de cabeça para munícipes e servidores públicos.

Pelo menos cinco munícipios cariocas estão sem seus #Prefeitos e ninguém sabe o paradeiro dos mesmos. Além disso, em todas essas cidades, os servidores estão com seus rendimentos mensais em atraso.

Os prefeitos desaparecidos são:

  • Gelsinho Guerreiro (PRB), da cidade de Mesquita;
  • Sandro Matos (PHS), de São João de Meriti;
  • Dennis Dauttmam (PCdoB), de Belford Roxo;
  • Nelson Bornier (PMDB), de Nova Iguaçu;
  • Alexandre Cardoso (PSD), de Caxias.

Em busca de informações

Em Mesquita, uma pessoa que não quis se identificar, contou que Gelsinho Guerreiro não aparece na prefeitura há mais de dois meses.

Publicidade
Publicidade

Ninguém tem informações sobre o mesmo ou sabe se ele ainda está na cidade. Além de não pagar os salários dos servidores, a prefeitura paralisou a coleta de lixo, desde que o prefeito sumiu. Ontem, 28 de dezembro, a #Justiça deu 24 horas para a prefeitura pagar os servidores municipais. Ao contatar a prefeitura de Mesquita, ninguém atendeu as ligações.

De acordo com reportagem do RJTV, o prefeito de Belford Roxo está incomunicável há três semanas. Ele não aparece para trabalhar e ninguém tem informações sobre o mesmo. Ao tentar contato telefônico com a prefeitura, ninguém atendeu.

Em São João do Meriti, um funcionário da prefeitura disse que acha difícil alguém conseguir falar com o prefeito, agora que ele está no final do mandato. Ninguém tem informações sobre o mesmo.

Em Caxias, aliados do prefeito Alexandre disseram que ele “tem aparecido” para trabalhar, mas servidores não o veem há algum tempo.

Publicidade

A assessoria do político rebate que ele tem cumprido uma agenda diária de compromissos como gestor do município.

Em Nova Iguaçu, embora servidores não tenham visto mais o prefeito, sua assessoria desmentiu as informações sobre o seu desaparecimento político e disseram que ele é o primeiro a chegar na prefeitura e o primeiro a sair, diariamente.

Todos os municípios possuem em comum o fato de não ser o atual prefeito quem vai governar a cidade no próximo ano. Embora não se tenha qualquer informação oficial sobre esse caso, é comum e ilegal que prefeitos abandonem o cargo ainda durante seu mandato quando não conseguem se reeleger ou eleger o seu candidato. #Eleições