O mais alto comandante do Exército do Brasil, general Eduardo Villas Bôas ,concedeu entrevista em que retrata um pouco do atual momento conturbado enfrentado pelo país atualmente, principalmente, em relação à corrupção e à situação da política nacional que permeiam a crise brasileira. O comandante do Exército relatou, entretanto, há "chance zero" de que as Forças Armadas retomem o poder no Brasil, tanto setores da ativa, como também da reserva. Ele admitiu, no entanto, que há movimentos civis que "batem à sua porta", cobrando algum tipo de intervenção pelas forças militares, diante do caos político presente na realidade brasileira. Ainda segundo o general, "civis questionam até quando as Forças Armadas vão permitir que o país siga afundando?. Onde está a responsabilidade das Forças Armadas?", afirmou o comandante.

Publicidade
Publicidade

A resposta ,segundo Villas Bôas está no artigo 142 da Constituição Federal.

O artigo 142 deixa expresso que: "as Forças Armadas, constituídas pela Marinha, Exército e Aeronáutica, são instituições permanentes e regulares", além disso, o texto da Constituição esclarece que essas instituições são organizadas de modo que se possam basear na hierarquia e também na disciplina. O texto delineia ainda que "sob a autoridade suprema do Presidente da República Federativa do Brasil, as Forças Armadas destinam-se à defesa da Pátria, à garantida dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer um destes, da lei e da ordem". O general Villas Bôas deixou claro ainda que "as Forças Armadas aprenderam a lição e que já estão escaldados", afirmou em relação àqueles que praticamente exigiam que fosse consumado o golpe de 1964, porém, o que era para se tornar passageiro, acabou durando aproximadamente 21 anos de ditadura militar no Brasil.

Publicidade

Villas Bôas afirmou ainda em entrevista ao veículo de comunicação Estado de São Paulo, que se reuniu com o ministro da Defesa Raul Jungmann e com o presidente da República, Michel Temer, e informou que "a tropa vive dentro da tranquilidade e que a reserva, por ora, mais arisca e audaciosa, até o presente momento está bem, sob controle", ressaltou.

Eleições presidenciais

O general Villas Bôas comentou sobre uma provável candidatura à presidência do país, do deputado Jair Bolsonaro, do PSC do Rio de Janeiro, que é um militar da reserva. Segundo o general; "Bolsonaro tem um perfil parlamentar que se identifica com a defesa das Forças Armadas do Brasil", argumentou. Ao ser questionado sobre a viabilidade da candidatura do deputado Bolsonaro ao cargo de presidente da República, o mais alto comandante do Exército respondeu de forma indireta: "Bolsonaro, a exemplo de Donald Trump nos EUA, fala e também se comporta contrariamente à exacerbação sem sentido do que hoje é chamado de politicamente correto", em alusão às diferenças do candidato em relação aos políticos tradicionais. #Governo #Eleições #Crise no Brasil